Brincadeiras e oficinas promovem integração de crianças autistas

Brincadeiras e oficinas promovem integração  de crianças autistas
Redação Dia a Dia

Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento das habilidades sociais, psicomotoras e de comunicação dos pacientes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), a Unimed Sul Capixaba ofereceu sessões de cinema, oficinas de arte, oficina sensorial, brincadeiras e contação de histórias.

Os atendimentos, agendados, começaram na última segunda-feira e terminam nesta quinta-feira, dia 23 de dezembro.

No evento, as crianças interagem entre si, com o acompanhamento dos profissionais de saúde, tendo uma experiência diferente ao atendimento individual regular com psicólogos, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais.

Renata Almeida Koppe Morelo, mãe de Matheus, de 2 anos e 5 meses, ressaltou que a iniciativa contribuiu para que ele tivesse uma interação social que não estava sendo possível por conta da pandemia.

“Meu filho teve a oportunidade de estar com os coleguinhas, participando de atividades na sala de cinema e pintura no rosto, e os estímulos foram muito importantes para o desenvolvimento.”

Ela, que é agente comunitária de saúde, conta que quando o filho iniciou as terapias não falava palavras e não mantinha contato visual com as pessoas, situações que evoluíram gradativamente.

A frentista Regia Caldeira Barros é mãe de Rômulo Falcão Busato Leal, de 3 anos, que em junho deste ano teve fechado o diagnóstico para autista e iniciou acompanhamento.

Segundo ela, a Semana Recreativa trouxe atividades complementares à terapia ABA, desenvolvida pela equipe da Unimed.

“Rômulo ficou super empolgado e não queria ir embora quando as atividades acabavam. A programação foi bacana, com as crianças tendo contatos com coisas sensoriais, como pintura, jogar dadinho e fazer carinhas, podendo expressar o que estavam sentindo: alegria, tristeza”, disse.

Quem também elogiou a Semana Recreativa foi a mãe do paciente Theo Oliveira Rua Rodrigues, de 4 anos. “Achei que foi tudo muito bacana, porque normalmente o espaço terapêutico é individual. O Theo ficou animado porque fizeram uma árvore de Natal com as fotos das crianças, dos terapêuticos, dos profissionais. Ele gostou de se identificar na árvore e ver os amiguinhos também”, disse Flávia Moreira Oliveira, que é psicóloga.

Ela avalia que, a partir das interações e novas percepções e informações ocorridas no evento, os profissionais que acompanham o Theo poderão avaliar como está o desenvolvimento dele e quais futuras intervenções poderão ser feitas no dia a dia das terapias.

Na programação da Semana Recreativa Unimed está sendo montada uma árvore de Natal personalizada, que tem como enfeites fotos das crianças. Como lembrança do evento, as famílias levam para casa uma foto e um brinquedo.

Dados de 2020 da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que há mais de 70 milhões de pessoas com TEA no mundo, sendo cerca de 2 milhões no Brasil.

 

 

Ultimas Notícias