Foto ilustrativa: Pixabay

Câncer e Covid-19: pacientes oncológicos devem tomar a vacina?

Câncer e Covid-19: pacientes oncológicos devem tomar a vacina?

Os pacientes oncológicos fazem parte do grupo de risco da Covid-19, já que podem sofrer complicações mais graves causadas pelo vírus, principalmente pessoas em tratamento de quimioterapia, radioterapia ou uso de medicamentos imunossupressores.

Com a recente aprovação das vacinas CoronaVac e Oxford no Brasil, muitos desses pacientes, que já enfrentam outra doença desafiadora no momento, estão em dúvida se devem ou não vacinar e se há alguma contraindicação.

Fernanda Cesar é oncologista. Foto: Cecon/Oncoclínicas

A oncologista Fernanda Cesar afirma que os pacientes oncológicos devem sim tomar a vacina, mas sempre com o acompanhamento do seu médico.

“As vacinas que são realmente proibidas para pacientes oncológicos imunodeprimidos são as que possuem o vírus vivo, o que não é o caso das vacinas aprovadas no Brasil. Mas todo paciente precisa conversar com o seu médico antes de programar a vacinação”, orienta.

Confira as principais dúvidas dos pacientes oncológicos sobre a vacinação contra a Covid-19, esclarecidas pela oncologista do Cecon/Oncoclínicas:

  • Pacientes oncológicos podem tomar a vacina?

Sim, a vacina deve ser tomada pelos pacientes com câncer para garantir a segurança neste momento de pandemia, não há contraindicações.

  • Preciso interromper o tratamento para tomar a vacina?

Não, o paciente pode ser vacinado mesmo durante o tratamento, mas é fundamental conversar com o médico e seguir as orientações. No caso do paciente em tratamento de quimioterapia, a indicação é que a vacina seja aplicada, se possível, duas semanas antes ou depois da última quimioterapia.  Já a radioterapia não interfere na data de aplicação da vacina, mas todos os casos devem ser acompanhados pelo médico.

  • Em quais casos ela não é indicada?

Os pacientes que realizam o transplante de medula óssea ou estão em planejamento, precisam recuperar o sistema imunológico e a data de vacinação deverá ser definida pelo médico que acompanha o caso.

  • O tratamento pode interferir na eficácia da vacina?

Sim, é possível que pacientes imunossuprimidos possam ter uma resposta menos efetiva à vacina, apesar de não termos estudos específicos realizados com essa parcela da população para traçar uma avaliação mais aprofundada.  Ainda assim, vale ressaltar que os resultados de pesquisas com outras parcelas da população indicam que os benefícios da imunização devem ser considerados como ponto favorável e, portanto, ela é recomendada para pacientes oncológicos em geral. De toda forma, cabe sempre consultar a equipe médica envolvida na linha de cuidado para que a decisão sobre a vacinação seja tomada de acordo com uma avaliação específica do caso de cada paciente.

  • Pacientes que já terminaram o tratamento têm alguma contraindicação?

Não há existe contraindicações para os pacientes que já finalizaram o tratamento.

  • Fiz uma cirurgia oncológica, após quanto tempo posso tomar a vacina?

A orientação é que a vacina seja aplicada dias antes da cirurgia, mas a data deve ser definida em conversa com o médico.

  • Qual vacina devo tomar?

Não existe uma vacina preferencial. O mais importante é vacinar-se assim que possível. Tanto a CoronaVac quanto a vacina de Oxford atendem aos padrões exigidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e as agências reguladoras internacionais.

Entre para nosso clube de leitores DiaaDiaES.

Cadastre o seu email e acompanhe todo o nosso conteúdo, além de materiais exclusivos a assinantes.

Nos comprometemos a jamais enviar qualquer tipo de spam para sua caixa de entrada.

mersin escort bayan - escort eskişehir - Meritroyalbet - nakitbahis.club - Vippark - winyou.club -

Betexper

-
betsatech.com
- Betgaranti giriş - piabet.biz