Foto: Gustavo Louzada

Comunidade quilombola de Vargem Alta está em mostra de filmes nacionais

Comunidade quilombola de Vargem Alta está em mostra de filmes nacionais
Redação Dia a Dia

Um filme produzido na comunidade quilombola de Pedra Branca, em Vargem Alta, está participando de uma mostra nacional do Projeto Revelando os Brasis.

Esse projeto é de formação e inclusão audiovisual para moradores de pequenas cidades do país e o resultado do concurso saiu quatro anos depois da inscrição, conta Sheila Altoé, professora de Arte e diretora do filme “A Viagem do seu Arlindo”.

“Na época fui fazer as oficinas, ser diretora e fazer a produção do filme, e preparei os moradores para participarem. Ele está numa mostra de arte até 20 de janeiro, percorrendo todo o país. Ele ainda não está publicado nas redes sociais”, destaca.

Segundo Sheila, “A Viagem do seu Arlindo” foi apresentado até numa mostra na índia, está percorrendo o Brasil e foi premiado em alguns festivais nacionais.

A professora de Arte conta também que na época da gravação de “A Viagem do Seu Arlindo” foi feita uma roda de caxambu, mas foi necessário buscar uma pessoa de outra comunidade para lembrar aos moradores mais antigos sobre a tradição. Os mais novos nem a conheciam, revela.

A diretora do filme diz que D. Canutinha, mestra do grupo de caxambu Alegria de Viver, da comunidade de Vargem Alegre, em Cachoeiro, que faleceu no ano passado, ensaiou as meninas e elas dançaram no último dia de gravação.

”A partir daí a comunidade passou a desenvolver e acreditar no seu potencial como comunidade quilombola e agora participa de muitos projetos da Secretaria de Estado da Cultura (Secult)”, destaca.

Sheila Altoé diz que não apenas a tradição do caxambu foi resgatada, mas também da gastronomia.

“Elas fizeram uma sopa de banana verde, coxinha de banana e outras comidas que os antigos faziam.  A comunidade resgatou isso e as professora, junto com a mestra de caxambu, que é merendeira escolar, conseguiram formar um grupo de crianças”, ressalta.

A professora conta que depois de todas as oficinas, a comunidade resgatou sua identidade e as professoras conseguiram, junto com a mestra de caxambu, que é merendeira de escolar, formar um grupo de crianças.

“Eles participaram da oficina de artesanato de fibra e também aprenderam a fazer tambores de congo, jongo, atabaque de caxambu e casaca  e aos poucos vai resgatando a identidade da própria comunidade”, conclui.

Assista ao curta metragem produzido em Pedra Branca:

A Viagem do Seu Arlindo

 

Ultimas Notícias