20 de abril de 2021 17h14

DER explica atraso em obras de pontes para moradores de São Vicente

Moradores do distrito de São Vicente, em Cachoeiro de Itapemirim, participaram de uma reunião com o diretor-presidente do Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES), Luiz Cesar Maretto, para discutir a situação das obras em duas pontes da localidade, afetadas pela enchente de janeiro, e que estão sob a responsabilidade do governo do Estado.

De acordo com Maretto, dois fatores principais dificultaram o início da realização das obras na ponte da localidade de Usina São Miguel e da ponte de Cachoeira Alta, sobre o rio Fruteiras. O primeiro fator diz respeito a entraves burocráticos decorrentes da caracterização das intervenções como obras emergenciais. O segundo está relacionado aos impactos da pandemia de Covid-19 na rotina de trabalho da administração pública.

“Numa obra emergencial, a execução do serviço visa recuperar a estrutura danificada nos mesmos moldes do que era antes do prejuízo causado. No caso aqui de São Vicente, os órgãos de controle entenderam que estamos construindo uma ponte nova e com capacidade superior à antiga, por isso a demora nos trâmites. Em março, surgiu a pandemia, quando tivemos que deslocar nossas atenções para a organização de estruturas para atender pacientes com Covid-19, além de ter que trabalhar com pessoal reduzido, pois muitos servidores são do grupo de risco”, explicou Maretto.

Intervenções

Apesar do atraso, as obras foram iniciadas neste mês de julho e, de acordo com representantes da empresa contratada para execução – presentes na reunião –, o trabalho deverá ser concluído em até 4 meses. Luiz Cesar Maretto se comprometeu a retornar a São Vicente no mês que vem para verificar o andamento das intervenções junto à comunidade.

Presente na reunião, o prefeito Victor Coelho também se manifestou sobre a situação das obras.

“Desde 2017, estamos tentando buscar recursos para melhorar a condição dessas pontes. Com a enchente, o cenário mudou completamente. Agora, a obra está sob a responsabilidade do DER-ES, e me comprometo a continuar monitorando o desdobramento das ações junto ao governo estadual”, afirmou.

Os moradores presentes na reunião também tiveram a oportunidade de se manifestar e fazer questionamentos. “A reunião foi muito boa. Tomara que finalize nesses 4 meses mesmo. Apesar da demora, finalizando já estará bom”, declarou Elza Eny Almeida Rabbi, moradora da localidade de Cantagalo e proprietária de uma pequena indústria local.

Outras demandas

O DER-ES está elaborando os projetos para reconstrução de outras duas pontes da localidade de Cachoeira Alta que foram arrastadas pela enchente, e que, posteriormente, serão encaminhados para a Prefeitura de Cachoeiro. Além disso, a prefeitura está providenciando a substituição de, pelo menos, cinco pontes de madeira por estruturas de concreto.

Durante a reunião, também foram dadas informações sobre mais demandas da comunidade, como a manutenção de estradas rurais.

“Considerando a intensidade das chuvas ocorridas no primeiro trimestre de 2020, os efeitos da pandemia e o tempo despendido com o processo de licitação de saibro, temos mantido a regularidade no atendimento às demandas do distrito, principalmente, quanto à manutenção das estradas rurais e construção e reconstrução de pontes. Neste momento, temos diversas frentes de trabalho em andamento no município, inclusive em São Vicente, cujas ações serão intensificadas com a chegada do saibro”, comentou o secretário municipal de Agricultura e Interior, Robertson Valladão.

mersin escort bayan - escort eskişehir - Meritroyalbet - nakitbahis.club - Vippark - winyou.club -

Betexper

-
betsatech.com
- Betgaranti giriş - piabet.biz