Foto: Thiers Turini

Gari-modelo diz que vê propósito de Deus em encontro com empresário

Gari-modelo diz que vê propósito de Deus em encontro com empresário
Anete Lacerda

O mais recente modelo cachoeirense Tiago de Souza Lima tem 29 anos, uma filha de seis, é de uma família de sete irmãos (um falecido) e mora no bairro Alto Zumbi, em Cachoeiro.

Depois que foi descoberto por um empresário do segmento de moda enquanto coletava lixo no bairro Sumaré e se tornou modelo da marca, diz que tudo mudou na sua vida e que agora as coisas têm que ser muito bem programadas. “Eu não esperava tanta repercussão, tanta visibilidade. Eu fui muito bem recebido pelo público”, relata.

 

 

Tiago conta que quando foi abordado pelo empresário Éder Oza perguntando se queria ser modelo da loja, a ficha não caia e ele não conseguia acreditar. Conta que a experiência foi incrível.

Ele relata que muitas pessoas já tinham brincado sobre ser modelo, mas isso parecia impossível, mas foi viabilizado porque Éder viu o seu potencial e acreditou nele. Tiago diz que vê a mão de Deus nessa oportunidade e que pretende mudar a sua vida e a da família com o dinheiro que ganhar.

“Eu trabalho como coletor há dois anos e três meses. Sempre quis me tornar motorista. Tirei carteira, fiz cursos, me preparei, mas nunca fui selecionado nas provas que fiz. Ficava triste e muito frustrado. Mas se tivesse saído da coleta nas ruas o Éder não tinha me descoberto. Então foi propósito de Deus”, acredita.

Foto Thiers Turini

Tiago Lima diz que hoje tem uma nova visão e que está abraçando a oportunidade que surgiu. Ele fazia o curso na Educação para Jovens e Adultos (EJA) e parou tanto em função da pandemia, quanto dos horários de trabalho, que em alguns dias é de 19h às 2h, outros de 7h às 16h e no sábado das 5h às 11h.

 

“Hoje eu vejo como Deus age na nossa vida. Fui criado em igreja evangélica, não frequento tanto mais, mas minha fé é inabalável. Vou concluir o EJA e fazer o curso de Educação Física”, planeja.

 

Éder Oza, o descobridor de talentos

 

Foto: Clóvis Rangel

Éder Oza, que tem um espaço de moda para noivos na cidade, diz que a postura de Tiago quando passou coletando o lixo na rua em que mora chamou sua atenção.

Ele conta que ao olhar para o rapaz viu uma beleza diferente, desceu e o abordou, pedindo para tirar uma foto e ver a possibilidade de que ele fizesse um editorial de moda para sua loja.

“Ele tinha um olhar altivo e a cabeça erguida, era um exemplo vivo de que autoestima e beleza não tem nada a ver com poder e riqueza, mas sim com leveza e coragem, qualidades que esse rapaz tem de sobra”, destaca o empresário, que diz que para ver beleza em diamantes brutos é necessário ter a cabeça aberta para isso.

“Eu sempre tive esse olhar diferenciado. Promover inclusão sempre foi um desejo nem sempre possível quando trabalhava para outras pessoas. O Tiago ficou tímido no começo, é normal, mas depois se saiu muito bem”, destaca.

Éder diz que os ícones tradicionais de beleza não nos representam mais, e que por isso entende a importância de modelos de todos os perfis no mundo da moda.

“A carreira de Tiago está apenas começando e fotografamos numa madeireira. Um ensaio num cenário meio rústico, combinou e ficou perfeito”.