Foto Anete Lacerda

Hospital Unimed de Cachoeiro é o primeiro do Estado a usar inteligência artificial

Hospital Unimed de Cachoeiro é o primeiro do Estado a usar inteligência artificial
Redação Dia a Dia

O Hospital Unimed de Cachoeiro é a primeira unidade hospitalar do Espírito Santo a utilizar a tecnologia da Laura Inteligência Clínica, uma inteligência artificial capaz de monitorar os pacientes em tempo real e identificar aqueles com trajetória de risco.

A Laura é um dos projetos estratégicos da cooperativa, para aprimorar a segurança na assistência aos clientes e salvar vidas e sua tecnologia permite conectar e analisar instantaneamente os dados dos pacientes, traçando o perfil, sinalizando ações a serem adotadas e facilitando a priorização dos atendimentos pelas equipes assistenciais.

A ferramenta é fornecida pela startup curitibana Laura e já está presente em mais de 40 instituições de saúde. Segundo a healthtech, em mais de 11 milhões de atendimentos realizados, a Laura ajudou a reduzir o tempo de internação e de mortalidade hospitalar em 10% e 25%, respectivamente.

A inteligência artificial e tecnologia cognitiva utilizados tornam o acesso aos protocolos clínicos mais rápido e permitem o gerenciamento de dados da rotina hospitalar, dando suporte às decisões clínicas.

“Vale ressaltar que a solução não se restringe, apenas, aos médicos, mas sim a toda cadeia dos cuidados com os pacientes”, afirma o diretor médico e cofundador da Laura, Hugo Morales.

Segundo o diretor-presidente da Unimed Sul Capixaba, Leandro Baptista, a Laura é uma das iniciativas da cooperativa para aumentar a segurança e oferecer uma melhor experiência de atendimento aos clientes, padronizando e melhorando fluxos de condutas no atendimento dos clientes hospitalizados.

A expectativa é utilizá-la em 100% dos pacientes, ampliando inclusive para a Maternidade com os atendimentos pediátricos.

Leandro Batista diz que com essa tecnologia inédita no Estado, o Hospital Unimed consegue avaliar se o paciente apresenta deterioração ou piora clínica, antecipar as condutas e evitar complicações por meio de intervenções precoces.

Segundo o presidente, tudo é automatizado e em tempo real, permitindo acesso rápido ao histórico dos pacientes, exames laboratoriais, emissão de alertas e atualizações instantâneas e personalizadas.

“Isso contribui para a redução de intercorrências e situações de gravidade que podem levar a necessidade de cuidados em UTI. É a inovação que vem somar ao cuidado”, completa.

Ultimas Notícias