Jovem que cresceu cercado de dificuldades compartilha amor em projeto social

Jovem que cresceu cercado de dificuldades compartilha amor em projeto social
Redação Dia a Dia

No primeiro dia de 2022 merece reflexão o exemplo de vida de um jovem criado apenas pela mãe, com todas as dificuldades impostas a quem tinha sete filhos para alimentar e educar sozinha.

Romildo Silva Rosa, de 27 anos, controlador de acesso numa empresa, diz que o pai, hoje falecido, sempre foi ausente, e que a vida era muito complicada, mas que felizmente a mãe sempre foi muito trabalhadeira.

“Passamos dificuldades e precisei da ajuda de algumas pessoas. Elas se aproximaram de mim e conversaram muito comigo para que eu não fosse para o lado da criminalidade”, relata.

Romildo conta que as pessoas que o abraçaram o ajudaram a mudar sua história, e que é exatamente por isso que investe sua vida no projeto esportivo e social Crianças de Cristo Aquidaban, onde é coordenador desde 2015, embora ele exista há 11  anos.

E o que levou um jovem que não é rico, e poderia gastar seu tempo consigo mesmo, a se dedicar a ensinar futsal a crianças e adolescentes de forma voluntária?

Romildo nos responde de forma muito clara. ” Escolhi esse caminho para fazer o que nem sempre fizeram por mim e meu irmãos,  e por algumas pessoas da minha geração quando eu era da idade deles. São 90 crianças aqui”, enfatiza.

Ele diz que o trabalho voluntário é uma oportunidade de fazer mais e incentivar as crianças com o seu melhor e as bondades da vida para que não tenham o fim triste de dois de seus irmãos, que seguiram para a criminalidade e foram assassinados.

“Eu tento ensinar, além do esporte, o caminho certo, incentivar as crianças a aprenderem e fazerem o mesmo para as próximas gerações também”, ressalta.

Segundo o coordenador do Projeto Crianças de Cristo Aquidaban, ele tem fé que o trabalho que faz hoje possa fazer diferença na vida dos que frequentam o local.

“Quando a gente abraça uma criança não precisa punir os adultos. Alguns me abraçaram e mudaram minha vida e hoje eu abraço também”, destaca.

Segundo o rapaz, o que o move é acreditar que essas crianças podem fazer um país melhor. “Vale acreditar no amanhã. E o único caminho é a gente cuidando de pessoas, principalmente de crianças, abraçando e ensinando o caminho certo”, pontua.

Projeto Faça uma Criança Feliz

Além do projeto esportivo, Romildo se mobiliza também através do projeto social Faça uma Criança Feliz, em que, junto com doadores, presenteiam crianças no natal com chocolates e bombons.

“Esse ano a gente atendeu crianças dos bairros Bela Vista, Novo Parque, N. Sra da Penha, Aquidabã, União e Zumbi. Tudo com o apoio de amigos e empresários”.

Romildo diz que sua infância difícil o motivou a fazer o que faz hoje e deixa uma mensagem de amor para a mãe, já que reconhece que sem ela não chegaria nessa idade que está.

“Eu amo a minha mãe e quero agradecer pela criação e por tudo que ela fez por mim e meus irmãos. Para que eu  chegasse até aqui com caráter e responsabilidade”.

E deixa um recado para as mães que têm dificuldade com os filhos:  peço que confiem em Deus e sigam em frente sempre”.

 

SAIBA MAIS

O projeto Crianças de Cristo Aquidaban funciona na quadra ao lado do Hospital do Aquidaban

 

 

 

Ultimas Notícias