sex 12/julho/2024 13:51
Pesquisar
Close this search box.
Capa
Geral
Cachoeiro
Política
Oportunidade
Saúde
Educação
Economia
Agro
Segurança
Turismo
Esporte
DiaaDiaTV
Publ. Legal
Mundo Pet
Cultura

Justiça suspende vídeos de youtubers que atuam na área policial

redacao
Redação Dia a Dia

A Justiça determinou a suspensão de quatro canais de podcast e videocast no Youtube que atuam na área policial. A medida liminar atinge conteúdos específicos dos canais Copcast, Fala Glauber, Café com a Polícia e Danilsosnider que juntos possuem mais de 5 milhões de inscritos.

A decisão atendeu parcialmente pedidos do Ministério Público Federal e da Defensoria Pública da União.

De acordo com a ação, as postagens estariam disseminando discursos de ódio, além de configurarem abusos no direito à liberdade de expressão.

O procurador regional dos Direitos do Cidadão adjunto do MPF no Rio de Janeiro, Julio Araujo, classificou a medida como fundamental para combater esse tipo de postagem.

“O estímulo à violência policial contido nesses vídeos estigmatiza a população negra, pobre e periférica, merecendo resposta do Estado e atuação da empresa que hospeda os canais”, avaliou.

A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro também foi notificada para prestar informações sobre os procedimentos adotados para efetivar os termos da Instrução Normativa nº 0234/2023 (sobre o controle de postagens em redes sociais).

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro foi oficiado para que, no prazo de 15 dias, manifeste se tem interesse em compor o polo ativo da ação civil pública.

Investigação

O caso começou a ser apurado pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do MPF no Rio de Janeiro por meio de inquérito civil, após reportagens do Ponte Jornalismo – site de jornalismo independente – destacarem o conteúdo violento veiculado por policiais em diversos canais do YouTube, em programas de podcast e videocast.

Na ação civil pública ajuizada em maio, o MPF e a DPU solicitaram à Justiça Federal a exclusão imediata dos trechos mencionados na ação e da adoção proativa de medidas pelo Google para casos futuros.

Também foi solicitada a fiscalização e moderação, pelo Google, do conteúdo postado em canais específicos, como Copcast, Fala Glauber, Café com a Polícia e Danilsosnider. A intenção é que a empresa implemente um planejamento que permita a análise contínua do conteúdo e a rápida exclusão de material discriminatório.

Indenização

Ainda foi requerido à Justiça que determine ao Estado que regulamente discurso de ódio por membros da Polícia Militar, incluindo-o na Instrução Normativa nº 0234/2023, com a adoção de medidas disciplinares em relação aos casos já mencionados e descritos na ação judicial.

Por fim, o MPF e a DPU solicitaram ainda a condenação do Google ao pagamento de indenização de R$ 1 milhão e, dos policiais, de R$ 200 mil por danos morais coletivos.

FONTE: AGÊNCIA BRASIL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

operacao-pf-ficco-11-07-2024

Advogado investigado por levar recado de traficante preso para criminosos fora da cadeia

homem-preso-mimoso-11-07-2024

Homem e adolescente presos com crack, maconha, cocaína e loló em Mimoso

Senai_curso_13_10_2023

Senai abre duas vagas de trabalho para instrutores em Cachoeiro

lagoa-do-siri-marataizes-08-01 (3)

Abertas inscrições para cursos gratuitos na área do turismo. Veja como se inscrever

palacio-anchieta-

Governo do ES abre inscrições para estágio com bolsas de até R$ 1.034,94

casagrande-aluizio-10-07-2024

Casagrande participa de evento sobre financiamento climático a Estados

estudantes-ensino-medio-10-07-2024

Saiba o que muda no ensino médio com novo texto aprovado no Congresso

falso-medico-10-07-2024

Sem compaixão. Falso médico tenta enganar familiares de pacientes internados na UTI

Leia mais