Luiz Carlos Reblin e Nésio Fernandes durante videoconfência com a imprensa. Foto: YouTube/Sesa

Mais de 262 mil pessoas no Estado tiveram contato com a Covid-19

Mais de 262 mil pessoas no Estado tiveram contato com a Covid-19
Erika Santos

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, e o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, apresentaram nesta segunda-feira (3), durante videoconferência com a imprensa, o resultado da última fase do Inquérito Sorológico, realizada entre os dias 27 e 29 de julho em 13 cidades do Espírito Santo.

A Sesa verificou uma redução na prevalência da doença nos municípios avaliados, se comparado com a pesquisa realizada anteriormente. Nas cidades da Grande Vitória, a prevalência foi maior: 7,29%; no interior, ela ficou em 4,25%; já a média geral do Estado foi de 6,52%. De acordo com a secretaria, 262 mil pessoas tiveram contato com a Covid-19.

“O que pode explicar a menor prevalência é o fato das pessoas que realmente estão ficando em casa terem sido encontradas no domicílio no momento da visita do Inquérito Sorológico. Além disso, pesquisadores apontam a possibilidade da redução de anticorpos detectáveis com o passar do tempo. O teste também pode ter detectado apenas o anticorpo IgG, por um menor número de casos agudos, que apontariam a presença dos anticorpos do tipo IgM. Por fim, a maior quantidade de assintomáticos também pode ter afetado esse resultado. por terem menos anticorpos”, disse o secretário.

A última etapa do Inquérito Sorológico foi realizada em Cachoeiro, Afonso Cláudio, Alegre, Marataízes, Cariacica, Colatina, Linhares, Nova Venécia, Santa Maria de Jetibá, São Mateus, Serra, Vila Velha e Vitória.

Flexibilização

Por conta da estabilização da doença no Estado, o mês de agosto será uma espécie de etapa de transição, com debates para a retomada de atividades econômicas e flexibilizações.

“Conseguimos até o presente momento vencer a pandemia. Mas é necessário olhar para frente e estabelecer uma agenda clara de combate ao coronavírus, principalmente na Grande Vitória, que está em uma fase de recuperação, o que deve acontecer no interior no final de agosto. Em setembro é possível que tenhamos uma situação mais homogênea no Espírito Santo. É uma agenda clara de retomada de atividades econômicas e sociais. A pandemia não vai ter terminado em setembro. Continuaremos enfrentando-a até o final do ano provavelmente porque isso só mudará com uma vacina ou tratamento efetivo”, disse Nésio.

Perfil dos infectados

De acordo com a Sesa, as mulheres são a maioria das pessoas doentes. Pretos e pardos também estão entre os mais infectados. O Inquérito Sorológico também apontou que usuários de transporte público estão mais sujeitos de contrair a doença.

Outro dado é que o número de pessoas que não tiveram sintomas de coronavírus subiu para 47,6%.
Nésio Fernandes disse que ainda não é possível dizer se há casos de reinfecção da doença no Espírito Santo.

Migração de leitos

O secretário disse ainda que durante a semana será feita a migração de mais leitos de enfermaria para pacientes que não estão com coronavírus.

“Não se assustem na terça-feira (4) e quarta-feira (5) com a ocupação dos leitos hospitalares, porque amanhã haverá uma migração muito grande de leitos de enfermaria para pacientes não Covid-19. Temos quase 40 leitos já migrados e iremos continuar esse processo na medida em que obtermos uma ocupação em torno dos 70%”, explicou Nésio Fernandes.

Ultimas Notícias
Ultimas Notícias