Mova-se, a luta por inclusão, respeito e cidadania continua em Cachoeiro

Mova-se, a luta por inclusão, respeito e cidadania continua em Cachoeiro
Mova-se, a luta por inclusão, respeito e cidadania continua em Cachoeiro
Anete Lacerda

Ainda não é possível apontar o número de pessoas com deficiência em Cachoeiro, mas um censo está sendo realizado para que se possa chegar a esse total, de forma confiável e segura.

Quem informa é Jacques Douglas Danzi, presidente do Mova-se, Organização não Governamental (Ong) que luta por acessibilidade e mobilidade para pessoas com deficiência em Cachoeiro.

“Estamos fazendo um censo juntamente com a Secretaria de Saúde, acredito que até o final do ano 2021 teremos esses números”, enfatiza.

Segundo Danzi, a luta principal das pessoas com deficiência representadas pelo Mova-se é preservar os direitos que já foram alcançados, sempre com o foco nos grandes desafios que enfrentam. “Nosso maior desafio é o município entender que já tem leis para tudo e que tem que ser implantada e respeitada”.

Mas mesmo diante das muitas dificuldades enfrentadas todos os dias por pessoas com deficiência(PCD’s), Danzi aponta grandes conquistas a partir do trabalho da Ong.

“Os novos empreendimentos em Cachoeiro estão sendo construídos com as devidas acessibilidades foi criado o Fundo da Pessoa com Deficiência e feito o mapeamento das calçadas de Cachoeiro a partir de mobilização e cobranças nossas”, destaca.

Douglas Danzi enfatiza que o fundo permitirá às instituições captar recursos para desenvolvimento de projetos para a causa, e que a irregularidade das calçadas gerou um procedimento junto ao Ministério Público.

“O município vai ter que celebrar um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público para adequação de calçadas e espaços públicos na cidade”, esclarece.

Em relação ao estacionamento rotativo, o presidente do Mova-se tem críticas a fazer, uma delas em relação à cobrança, quando tinham direito à isenção.

A outra, em relação ao número de vagas, que aponta como insuficientes para atender à demanda, e finalmente o fato de pessoas sem deficiência usarem as vagas reservadas aos PCD’s.

“As vagas para pessoas com deficiência atualmente são cobradas pela nova administração do estacionamento. No passado não era cobrado nada, ou seja, tínhamos isenção. E mesmo assim as disponibilizadas não são suficientes”.

Danzi destaca como mais um trabalho importante a ser realizado pelo Mova-se o movimento em fase de planejamento que pretende ensinar as pessoas com deficiência a pleitear os seus direitos.

Multa moral
Douglas Danzi diz que o Mova-se aplica uma multa moral, sem valor legal, quando deixam uma notificação no para-brisa dos carros estacionados nas vagas reservadas às pessoas com deficiência.

Quem fala dessa multa é a Educadora Parental Mônica Pitanga, ex-presidente do Mova-se quando a ideia foi adotada.

“Em meados de 2019 pegamos uma ideia de alguém, que circulava na internet e nos foi apresentada pela Renata Fiório, e colocamos a nossa logomarca”.

Quanto à reação dos que estacionam indevidamente, Mônica diz que põe o cartão e não fica esperando.
“Até gostaria de filmar, como numa pegadinha, para ver como as pessoas se comportam diante da multa moral, mas a gente não sabe a legalidade disso, então nunca fizemos, mas seria interessante ver”.

Ultimas Notícias
mersin escort bayan - escort eskişehir - Meritroyalbet - nakitbahis.club - Vippark - winyou.club -

Betexper

-
betsatech.com
- Betgaranti giriş - piabet.biz -

grandbetting güvenilir mi