Reblin e Nésio durante coletiva de imprensa. Foto: YouTube/Sesa

Paciente de Guarapari pode ter sido o 1º caso de Covid-19 no país

Paciente de Guarapari pode ter sido o 1º caso de Covid-19 no país
Erika Santos

Uma moradora de Guarapari teve detectados anticorpos do novo coronavírus muito antes do primeiro caso no Brasil ser registrado oficialmente, em 26 de fevereiro, um dia após o término do Carnaval. Durante coletiva on-line de imprensa na manhã desta terça-feira (11), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, disse que esta ocorrência de Covid-19 no Estado foi registrada no dia 11 de fevereiro.

Segundo Nésio Fernandes, até então o primeiro caso oficial de coronavírus no Espírito Santo datava de 5 de março.

“Nós identificamos em uma amostra biológica datada de 11 de fevereiro os anticorpos para a Covid-19 em uma amostra de uma paciente que doou sangue para o Hemoes do município de Guarapari, que não viajou para o exterior e apresentou sintomas respiratórios um mês antes da doação de sangue, estando assintomática nos últimos 14 dias anteriores à doação de sangue. Nós notificamos o Ministério da Saúde. Os dados desse paciente serão preservados”, disse o secretário, que participou da coletiva ao lado do subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin.

“Nós estamos, de fato, com um caso registrado anterior ao primeiro do país. Existem relatos de outros casos em outros estados também. Nós vamos estabelecer com o Ministério da Saúde um alinhamento das investigações dos casos anteriores a 26 de fevereiro para que a gente consiga qual foi o primeiro do país”, completou Nésio Fernandes.

O secretário declarou ainda que a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) também investiga casos de possível reinfecção por coronavírus no Espírito Santo. De acordo com ele, 21 infectados apresentaram dois resultados positivos para doença num intervalo de 30 dias. Em quatro desses pacientes foram feitas novas investigações que resultaram em três casos descartados e um inconclusivo.

Momento da pandemia

O secretário voltou a frisar que o atual momento da pandemia é de cautela e de alerta. “Não temos uma consolidação da normalidade”, disse.

Com base nos dados do comportamento do novo coronavírus no Espírito Santo, a expectativa, segundo Nésio Fernandes, é de que os números de óbitos e de casos registrem quedas expressivas nos meses de setembro e outubro. Ainda segundo ele, no interior, a Covid-19 deve prevalecer por mais tempo.

Ultimas Notícias