segunda-feira - 12 de abril de 2021
Jornal Dia a Dia – Notícias do Espirito Santo e do Brasil
PM e Guarda reforçam segurança na Prefeitura de Itapemirim. Foto: Pedro Paulo Biccas Jr

PM cerca Prefeitura de Itapemirim após Câmara afastar prefeito

A Prefeitura de Itapemirim está cercada pela Polícia Militar na manhã desta quarta-feira após decisão da Câmara Municipal de afastar o prefeito interino Thiago Peçanha Lopes  (PSDB).

De acordo com o major Luciano Nunes Buzim, a PM e a Guarda Civil Municipal “não se envolverão em uma disputa institucional de poder”.

Buzim, que é comandante da 9ª Cia Independente da Polícia Militar, informou que deslocou 16 homens para manutenção da ordem pública. “Ou a entrada na prefeitura se dará em comum acordo ou de forma litigiosa pela justiça”, disse.

O prefeito interino Thiago Peçanha Lopes ainda segue no cargo.

Decisão

Em sessão na noite de terça-feira (20), a Câmara Municipal instaurou Comissão Processante para apurar atos de improbidade administrativa e afastou Peçanha por 90 dias das funções de prefeito. Foram seis votos a favor do afastamento, quatro contra e uma abstenção.

O decreto 556/2019 traz o termo de posse do presidente da Câmara, Mariel Delfino Amaro, na prefeitura, e do vice-presidente da Casa, Joceir Cabral de Melo, no comando do Legislativo.

“O afastamento do gestor é imperioso diante de sua reiterada conduta no aliciamento de vereadores com oferecimento de dinheiro e cargos, obstaculizando o acesso a documentos públicos, obstruindo significativamente as atividades parlamentares, especialmente na fiscalização da aplicação dos recursos públicos, função basilar do vereador, inclusive se utilizando de servidores comissionados que, em horário de expediente, são enviados às sessões da Câmara para tentar intimidar e agredir os vereadores que tentam fiscalizar seus atos”, afirma o decreto.

Em nota enviada ao portal Dia a Dia pela Prefeitura de Itapemirim, assinada pelo advogado Gabriel Quintão Coimbra, “não há previsão legal de afastamento de prefeito pela Câmara de Vereadores”.

“Isso é entendimento pacífico do Supremo Tribunal Federal, através da súmula vinculante nº 46. É um caso idêntico ao que ocorreu no município, neste ano. Na ocasião, o Poder Judiciário anulou o ato da Câmara, idêntico ao atual. Esse ato não tem valor jurídico no Direito brasileiro e representa uma ruptura institucional com o Estado de Direito. Estamos diante de uma jabuticaba jurídica da Câmara de Itapemirim. Embora sem valor legal, é inegável o prejuízo à ordem e a paz social do município”, afirma a nota.

Leia mais: Justiça mantém Peçanha no cargo de prefeito de Itapemirim

Outro afastamento

Essa não é a primeira vez que a Câmara decide afastar Peçanha das funções. Em 24 de maio, pelo placar de 6 a 5, os vereadores decidiram pelo afastamento, no âmbito da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Consórcio Intermunicipal de Saúde.

Entretanto, Peçanha conseguiu retornar ao cargo por decisão judicial.

Leia mais: Câmara afasta prefeito de Itapemirim por 90 dias

Peçanha foi eleito na chapa de Luciano Paiva em 2016 e assumiu a prefeitura em abril de 2017, após a Justiça afastar o prefeito.

Paiva foi afastado na época por supostas irregularidades em sete contratos de shows e um contrato de publicidade.

Carregando....

O site do Jornal Dia a Dia ES pode usar cookies para melhorar sua experiência. Você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Ler mais...

mersin escort bayan - escort eskişehir - Meritroyalbet - nakitbahis.club - Vippark - winyou.club -

Betexper

-
betsatech.com
- Betgaranti giriş - piabet.biz
%d blogueiros gostam disto: