Bens e a sede cachoeirense da Itapemirim serão leiloados por R$ 132 milhões

Bens e a sede cachoeirense da Itapemirim serão leiloados por R$ 132 milhões
Redação Dia a Dia

Para quem acompanhou os áureos tempos da Viação Itapemirim em Cachoeiro, que já foi uma das maiores empresas de transporte coletivo da América Latina , além de um dos maiores empregadores do município, a notícia causa certa tristeza.

É que a sede da empresa, com todos os seus platôs, irá a leilão para pagamento de dívidas trabalhistas, fiscais, bancárias e fornecedores que alcançariam R$ 2 bilhões, valor contestado pelo administrador da empresa, Sidnei Piva. Caso ele tenha sucesso em sua contestação, o valor da dívida pode ser reduzido.

Além da sede de Cachoeiro, a lista de imóveis que irão a leilão e tão vasta quanto a história da Viação Itapemirim e contempla bens em outros estados do país.

Interessados na aquisição do imóvel podem fazer suas ofertas entre 29 de novembro  de 2021 e 13 de dezembro de 2021 pelo site: https://www.megaleiloes.com.br/imoveis/imoveis-comerciais/es/itapemirim/imovel-com-689252m2-cachoeiro-de-itapemirim-es-j73460

O processo se arrasta desde março de 2016 e o leilão foi autorizado pela 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central/SP.

A área total a ser leiloada na antiga sede tem 689.252m² e é um dos principais imóveis da empresa. Quem é cachoeirense conhece, mesmo que de longe, a grande e abundante área verde que  cerca o local.

Apesar de a avaliação ser de R$ 132 milhões, os lances partem de R$ 66 milhões, sendo ainda necessário um incremento de R$ 1,3 milhão.

 

Representantes de funcionários da empresa

No dia  15 de junho desse ano o representante dos ex-funcionários da Viação Itapemirim, Adilson Júnior esteve na Câmara Municipal de Cachoeiro para pedir apoio em negociações que levem a empresa a quitar dívidas trabalhistas com um grupo de demitidos. Segundo ele, na época existiam pessoas passando fome em função do não recebimento dos valores combinados.

Ele ocupou a tribuna da Casa de Leis para informar que todos tinham entrado com ação judicial, mas ainda não haviam conseguido nada, apesar do apoio do sindicato e da divulgação da imprensa.

Acusou inclusive no dia que estaria havendo uma grande omissão de quem devia cuidar do direito dos trabalhadores, o Ministério Público e o Ministério de Trabalho, que não davam respostas aos trabalhadores.

Segundo Adilson Júnior, em 2016, já sob o controle de um novo grupo, a empresa entrou em recuperação judicial e, desde lá, 400 empregados cachoeirenses perderam o emprego. No Brasil, seriam pelo menos 3.000 ex-funcionários na mesma situação.

“ O passivo da empresa está sendo todo vendido. Fazem propaganda dizendo que está tudo bem, abrem empresa de aviação, mas dizem que não podem nos pagar devido à pandemia”, criticou.

As críticas do ex-colaborador da Viação Itapemirim não se estendiam ao seu fundador, Camilo Cola, falecido esse ano.

“ Camilo Cola, era uma  pessoa honrada, justa e “de coração imenso”, que sempre cumpriu as obrigações com os funcionários. Mas a nova empresa que assumiu a Viação Itapemirim está deixando uma mancha na história da empresa, e não tem como a gente combatê-los com as mentiras que eles postam nas redes sociais. É uma briga desleal”, concluiu.

Confira todos os imóveis que serão leiloados:

– Conjunto Industrial no Parque Rodoviário Itapemirim, no Bairro Amarelo, nesta cidade, compreendendo um terreno com área de duzentos e quarenta mil, setecentos e noventa e seis metros quadrados e oitenta e dois decímetros quadrados (240.796,82m2), bem como as seguintes construções nele encravadas: prédio de administração, em dois pavimentos, com área construída de 1.004,89m2, estrutura de concreto armado, paredes de alvenaria de tijolos; prédio em estrutura metálica, fechado de um lado, paredes de alvenaria de tijolos, piso de cimento, com boxes para revisão de ónibus, área construída de 2.570,00m2; escritório da gerência em estrutura de concreto armado, com área construída de 325,35 – paredes de alvenaria; garagem em estrutura de concreto armado, com área de 1.260,00m2, piso de cimento, com vários boxes para ônibus; prédio em estrutura metálica , para recauchutagem, com área construída de 706,50m2, em alvenaria de tijolos, piso de cimento; conjunto residencial, compreendendo dezessete casas para funcionários, em estrutura de concreto armado, piso de ladrilhos e frisos páteos e áreas internas, áreas de 6.200,00m2, calcetados em paralelepípedos e /ou cimentados; muros de arrimo em pedras e outros em alvenaria de tijolos, de limites com ruas e divisas de diversos setores; estradas de acesso á parte mais alta do imóvel, e , ainda, terraplanagem do cume, com a preparação de dois patamares que totalizam aproximadamente 40.000,00m2; reservatórios de água, com capacidade para 400,000 litros; pavilhão com estrutura metálica, paredes de alvenaria, cobertura de cimento amianto e piso de concreto, com 3.456,00m2 de área construída: um pavilhão com estrutura de concreto, paredes de alvenarias, cobertura de cimento amianto e piso de concreto, com 486,00m2 de área construída; casa de força, em estrutura de concreto, paredes de alvenaria, cobertura de cimento amianto e piso de concreto.

 

– Uma propriedade denominada “Coqueiros”, nesta cidade, medindo dezoito hectares , trinta e oito ares e dez centiares(18,38 10 – ha), correspondentes a três (3) alqueires, trinta e um (31) litros e mil e cem metros quadrados (1.100,00m2), de terrenos, em pastos , com uma pequena casa, coberta de telhas, sendo todo o terreno cerca do com arame farpado; uma área de terreno medindo vinte e seis mil, seiscentos e sessenta metros quadrados (26.660,00m2), situada em no Baiminas

–  Uma área de terreno com sete mil, quatrocentos e quarenta metros quadrados (7.440,00m2), situada no bairro  Bela Vista, nesta Cidade

– Uma área de terreno urbana, com cinquenta e nove mil e oitocentos metros quadrados (59.800,00m2), com o perímetro de mil, cento e oitenta e dois metros e dez centímetros (1.182,10m), desmembrada da área denominada “B”, situada no  Amarelo

– Um lote de terreno sob número treze (31), da quadra “A”, medindo vinte e dois metros (22,00m) de frente, vinte e cinco metros (25,00m) de fundos, vinte e quatro metros (24,00m) do lado direito, cinquenta e dois metros (52,00m) do lado esquerdo, totalizando seiscentos e vinte metros quadrados (620,00m2), situado no Bairro Costa e Silva, nesta Cidade,

– Uma área de terreno com doze mil, novecentos e setenta e quatro metros quadrados (12.974,00m2), representada por vinte (20) lotes, de números cento e cinquenta (150) a cento e sessenta e nove (169), da quadra “H”, com quatro mil oitocentos e oitenta metros quadrados (4.880,00m2); vinte e quatro (24) lotes, de números cento e setenta (170) a cento e noventa e três (193), da quadra “I”, com seis mil, seiscentos e cinquenta e quatro metros quadrados -(6.654,00m2);

– Uma área que anteriormente pertencia ao Rotary Clube de Cachoeiro de Itapemirim, com um mil, quatrocentos e quarenta metros quadrados (1.440,00m2), situada no bairro Boa Vista, nesta Cidade;

–  Uma área de terreno com dois mil, novecentos e cinquenta e oito metros quadrados (2.958,00m2), correspondentes a doze (12) lotes, de números cento e vinte e quatro (124), cento e vinte e seis (126), cento e vinte e oito (128), cento e trinta (130), cento e trinta e dois (132), cento e trinta e quatro (134), cento e trinta e seis (136), cento e trinta e oito (138), cento e quarenta (140), cento e quarenta e dois (142), cento e quarenta e quatro (144) e cento e quarenta e seis (146), da quadra “G”, situada no bairro Boa Vista

– Uma área de terreno com quinze mil e quarenta e quatro metros quadrados (15.044,00m2), correspondentes a cinquenta e um (51), lotes , de números cento e noventa e quatro (194) a duzentos e quarenta e quatro (244), da quadra “J”, situada no bairro Boa Vista, nesta Cidade

– Uma área de terreno com quatro mil, oitocentos e noventa e dois metros quadrados (4.892,00m2), correspondentes a dezesseis (16) lotes, de números duzentos e sessenta e um (261), duzentos e sessenta e três (263), duzentos e sessenta e cinco (265), duzentos e sessenta e sete (267), duzentos e sessenta e nove (269), duzentos e setenta e um (271), duzentos e setenta e três (273), duzentos e setenta e cinco (275), duzentos e setenta e sete (277), duzentos e setenta e nove (279), duzentos e oitenta e um (281), duzentos e oitenta e três (283), duzentos e oitenta e cinco (285), duzentos e oitenta e sete (287), duzentos e oitenta e nove (289) e duzentos e noventa (290), da quadra “M”, situada no bairro Boa Vista, nesta Cidade,

– Uma área de terreno com três mil e oitenta metros quadrados (3.080,00m2), correspondentes a doze (12) lotes, de números um (1) a doze (12), da quadra “B”, situada no bairro Costa e Silva nesta cidade, confrontando pela frente com a rua três (3), fundos com a rua quatro (4), lado direito com o entroncamento das ruas três (3) e quatro (4) e lado esquerdo com o entroncamento das ruas três (3) e quatro (4), de acordo com planta aprovada em 29 de janeiro de 1969,

– Uma área de terreno com quinze mil, cento e noventa e três metros quadrados e cinquenta decímetros quadrados (15.193,50 m2), correspondentes a cinquenta (50) lotes, de números hum (1) a cinquenta (50) da quadra “C”, e o prédio, sob nº 94, situado na rua 4, edificado no lote nº quarenta e sete (47), com sala, três’ quartos, banheiro, copa-cozinha, varanda, área de serviço coberta e circulação interna, situados no bairro Costa e Silva, nesta Cidade,

– Uma área de terreno com três mil, quinhentos e setenta e quatro metros quadrados (3.574,00m2), correspondentes a doze (12) lotes, de números um (1) a doze (12), da quadra “A”, situada no bairro Costa e Silva, nesta Cidade, confrontando pela frente com a rua um (1), fundos com uma rua sem número, lado direito com a rua três (3) e lado esquerdo com o lote número treze (13),

– Uma área de terreno com um mil, quatrocentos e sessenta e cinco metros quadrados (1.465,00m2), correspondentes a cinco (5) lotes , de números duzentos e noventa e um (291) a duzentos e noventa e cinco (295), da quadra “N”, situada no bairro Boa Vista, nesta Cidade, confrontando pelos seus diversos lados com a rua quatorze (14), avenida hum (1), rua sem número,

– Uma área de terreno com onze mil, novecentos e setenta e nove metros quadrados e setenta e cinco decímetros quadrados (11.979,75m2), denominada Gleba “F”, situada no Amarelo, nesta Cidade, confrontando pela frente com as glebas “I”, “J”, “L” e “M”, com uma rua projetada

– Descrição conf. retificação de área constante à Av.3: Uma área de terreno com duzentos e quarenta e seis metros e setenta e quatro centímetros (246,74m) de frente para a Rua Francisco Valiate,

– Um terreno rural medindo trinta e dois mil, quinhentos e cinquenta metros quadrados (32.550,00m2), situado  Baíminas, Boa Vista e Bela Vista, no distrito s