Sobre homens e montanhas: O Monte Fuji e a Floresta dos Suicidas

Sobre homens e montanhas: O Monte Fuji e a Floresta dos Suicidas
Marcio do Nascimento Santana
Monte Fuji o sagrado pico da perfeição. Foto divulgação

Não tropeçamos nas grandes montanhas, mas nas pequenas pedras. Augusto Cury

 

O Monte Fujiyama, ou Monte Fuji é o ponto mais alto do arquipélago japonês. Com seus imponentes 3.773 metros de altitude, é um vulcão adormecido e é reverenciado, juntamente com o Monte Tate e Monte Haku, que formam as três montanhas sagradas do Japão, como uma divindade pelos japoneses, há pelo menos mil e quatrocentos anos.

Ele se localiza na Ilha de Honshu, a principal do país, a 100 km de Tókio. O seu cume esta constantemente repleto de neve e sua idade geológica é próxima aos 600 mil anos e surgiu durante o período do Pleistoceno. Porém a sua atual forma simétrica surgiu graças a ação da lava e ao processo natural de erosão e tem 300 mil anos. Para atingir o seu cume, uma caminhada, preparo físico e equipamentos leves é o suficiente.

A Montanha Sagrada

O significado da palavra Fujiyama é muito polemico. Há quem diga que Fujiyama significa “Sem igual” e  em outras correntes do pensamento japonês significa “Imortal”. E existe uma crença Taoísta que acredita que o Monte Fuji abriga o segredo da Imortalidade. E uma crença budista que a montanha sagrada seria um portal para o mundo do espíritos.

E ainda na base do Monte Fuji é comum encontrar templos de várias religiões e seitas como o Xintoismo, Confucionismo, etc…

Esse ecumenismo, é um fenômeno antropológico único que consolida ainda mais a sua fama de ser uma montanha divina.

 

Um Vulcão adormecido

Monte Fuji é um vulcão que os cientistas não tem certeza absoluta que está completamente extinto logo ele ainda representa uma ameaça em potencial. Embora adormecido há mais de 310 anos, na sua última erupção, no ano de 1707, ele devastou quase todo o litoral japonês, onde suas brasas destruíram 72 casas e três templos budistas na cidade de Subasiri, e a 10 quilômetros do vulcão, as suas nuvens de cinzas cobriram os céus da capital. O dia se tornou noite e seus habitantes tiveram que acender velas. Calcula-se que o Fuji entrou em erupção pelo menos 75 vezes nos últimos 2.200 anos, 16 delas desde 781 d.C.

 

O monte Fujiyama e a Floresta de Aokigahara.Foto divulgação

 

A Floresta dos Suicidas

Enquanto o Monte Fuji é considerado sagrado pelos japoneses, em contra partida, em suas fronteiras existe uma floresta considerada amaldiçoada, a floresta de Aokigahara, também conhecida como Mar de Árvores e é  formada por árvores como pinheiros e cedros brancos e que se extende por mais de 38 km², e fica  situada na base noroeste de nossa querida montanha.

Devido à densidade das árvores, que bloqueiam o vento, e também a entrada de luz solar, não existe vida selvagem, além de que Aokigahara é conhecida por ser estranhamente silenciosa. Contam-se muitas lendas acerca da floresta. Algumas delas relacionadas com demônios, fantasmas e espíritos malignos característicos da mitologia japonesa.

 

Espíritos que rondam a floresta dos suicidas. Foto divulgação

 

A fama sombria não e por acaso,conta-se que naquele local,durante o século 19,praticou-se o Ubasute,um costume ancestral japonês,onde os parentes idosos e doentes eram abandonados a própria sorte para morrer.Esse macabro histórico pode ter incentivado os suicidas a escolher a floresta para tirar a própria vida. Mais de 100 corpos são encontrados ali todos os anos, além de bilhetes de suicidas, cordas penduradas pelas árvores, vestígios de rituais satânicos e até mesmos “manuais” suicidas.

Outra teoria sobre o fato da floresta de Aokigahara ser ideal para a pratica do suicidio, envolve um romance chamado Kuroi Jukai, de Seicho Matsumoto, publicado em 1960. Nele é descrita a história de amor de dois jovens que acabam cometendo suicídio na mata.

Após a publicação do livro, a floresta se tornou negativamente mais popular.O local até era considerado calmo e tinha como vista final o sempre espetacular Monte Fuji.

As trilhas da região contêm mensagens em japonês e inglês que buscam tirar as ideias suicidas da mente dos transeuntes.

A floresta de Aokigahara é cheia de labirintos que é possível,que suicidas jamais tenham seus corpos recuperados. Regularmente, os guardas da floresta realizam caminhadas de buscas para localizar restos mortais esquecidos.

 

Mais uma vitima da floresta dos suicidas.Foto divulgação

 

Unesco e Parque Nacional:

Em 1936,o Monte Fuji foi transformado em parque nacional, e desde então recebeu toda infraestrutura, como estradas especialmente construídas para os turistas visitarem o vulcão, os cinco lagos e a floresta de Aokigahara.

A importância dessa montanha é tão grande, que foi reconhecida pela Unesco, e foi incluída na Lista do Patrimônio Mundial em 2013. Segundo a agência da ONU para a educação, ciência e a cultura, a montanha serve de inspiração para artistas e poetas, e tem sido objeto de peregrinação por séculos.

O Monte Fuji e a Floresta de Aokigahara são patrimônios naturais que invocam sentimentos que se complementam e se suprimem, o sagrado e o profano, o Yin e Yang lado a lado…Sentinelas eternas do povo japonês

Para frente e para o alto;

Montanha Brasil.

Para saber mais:

Confiram videos da Floresta e abaixo o do Monte Fuji.

Floresta dos suicidas:

Subida ao Monte Fuji:

 

Marcio do Nascimento Santana, Historiador com formação em Arqueologia, Montanhista e membro do Instituto Histórico e Geográfico de Cachoeiro de Itapemirim
Ultimas Notícias