Carro de Adilon ficou danificado após atropelar Carla

Suspeito de atropelar mulher em Guaçuí tenta fugir do flagrante, mas acaba preso

Suspeito de atropelar mulher em Guaçuí tenta fugir do flagrante, mas acaba preso
Suspeito de atropelar mulher em Guaçuí tenta fugir do flagrante, mas acaba preso
Redação Dia a Dia

Foi preso nesta sexta-feira (29) pela polícia o homem de 43 anos acusado de atropelar e matar  a doméstica Carla Valadares da Silva Souza, 35 anos, no início da noite desta quinta-feira (28) em Guaçuí.

Adilon Roberto de Souza, 43, foi preso após um trabalho conjunto entre a Polícia Militar do Espírito Santo e do Rio de Janeiro, e o homem,  que seria ex-marido da vítima, se entregou na localidade de Prata, também no Rio, após negociação com os policiais.

Ele, que estava acompanhado do advogado, foi conduzido à Delegacia de Guaçuí, mas se recusou a prestar esclarecimentos, alegando que usaria o seu direito de ficar em silêncio.

Em nota, a Polícia Civil informou que o suspeito se apresentou com advogado na Pelotão da PMRJ, na cidade de Varre-Sai, na divisa com o Estado do Espírito Santo, com a intenção de ser ouvido e liberado, já que não havia mais o estado flagrancial.

“Ocorre que, a Delegacia de Polícia Civil já havia representado pelo pedido de prisão temporária do investigado, obtendo decisão favorável da justiça”, disse a nota.

Na delegacia, ele apenas afirmou que tentou evitar o atropelamento, mas que não teria conseguido frear o seu veículo Fiesta. Contra ele havia um mandado de prisão temporária emitido pela Justiça de guaçuí.

Segundo o delegado Marcos Nery, o casal se dividia entre a cidade do Caparaó capixaba e Varre-Sai, onde também teria residência.

Apesar das agressões sofridas em público pela vítima, não existe em nenhum dos municípios denúncias de violência doméstica contra o homem e nenhuma medida protetiva solicitada, acrescenta Marcos Nery.

A mulher foi atropelada e morta em frente ao batalhão do Corpo de Bombeiros (CB) de Guaçuí, após fugir das agressões e pegar carona na carroceria de um Fiat Strada branco, que a deixaria na sede do Corpo de Bombeiros, a forca de segurança mais próxima da ES-484, local onde as agressões começaram.

Quando ela desceu em frente à sede do CB, o motorista do Fiesta preto, em alta velocidade,  a atropelou e matou. Um vídeo mostra o momento exato. Ela chegou a ser socorrida pelas equipes dos bombeiros e Samu 192, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

As motivações do crime ainda não foram levantadas, mas Marcos Nery diz que o dono do Fiat Strada branco conta que as agressões foram muito violentas e que o homem teria sido contido por populares, momento em que Carla subiu na carroceria de sua caminhonete.

Contra o homem acusado do assassinato foi cumprido o Mandado de Prisão Temporária. Ele passou por exames de corpo delito, foi conduzido ao Centro de Detenção Provisória de Cachoeiro, informa Nery.

O inquérito deverá ser concluído na próxima semana, após o recebimento dos laudos de lesões e cadavérico e da oitiva dos parentes, que poderão acrescentar dados ainda desconhecidos da polícia, relata o delegado.

A agilização do mandado de prisão temporária foi necessário para que o acusado do atropelamento de Carla Valadares não fosse liberado após a audiência de custódia, esclarece Marcos Nery.

 

 

Ultimas Notícias
Ultimas Notícias