Comunidade da via de acesso a Santa Tereza reclama de falta de ônibus e más condições da estrada

Comunidade da via de acesso a Santa Tereza reclama de falta de ônibus e más condições da estrada
Redação Dia a Dia

Moradores da comunidade e usuários da via de acesso à comunidade de São Simão, logo após o bairro IBC, em Cachoeiro, reclamam das condições da via de acesso ao local.

Segundo um deles, morador antigo, mas que prefere não se identificar, e que fala em nome dos demais, a estrada de acesso a Santa Tereza já esteve ruim em muitos períodos, mas como atualmente nunca tinha ficado.

“Agora as coisas pioraram. Já tem umas três semanas que estão jogando umas pedras que interditaram um lado da estrada. Hoje jogaram mais um. Só passa um carro de cada vez. Nem sabemos se é a Prefeitura que está fazendo isso”, informa.

 

O usuário da via diz que o lado livre está afundando por causa do trânsito de caminhões pesados, tornando o trecho  ainda mais intransitável, provocando prejuízos aos que são obrigados a pegar os carros para sair de casa.

“Esta estrada liga Cachoeiro a Atílio Vivácqua e à BR 101 e só é essa vergonha do lado de Cachoeiro. Chega no trecho de Atílio Vivácqua a qualidade é outra. Não tem nem comparação”, detalha.

Outra reclamação do morador, que fala em nome dos outros que também preferiram não se identificar, é que desde o início da pandemia a comunidade não têm mais acesso a ônibus diários.

“Agora é uma vez por semana, às segundas às 18h. Isso não atende a necessidade de nenhum morador. Ou eles usam os carros próprios ou chamam os de aplicativo, que aceitam mas logo em seguida cancelam a corrida quando descobrem o local exato. Estamos isolados”, lamenta.

O homem diz que já foi protocolada reclamação na Ouvidoria e feitas reclamações na secretaria de Obras, mas que a informação é de que há muita demanda no município, mas que o local será atendido, embora não haja data definida.

 

Resposta das Prefeituras

Demandada, a Prefeitura de Cachoeiro disse que a sede da associação de moradores e a igreja católica da comunidade estão localizadas no município de Atílio Vivácqua, e que isso foi descoberto quando foi georreferenciada a antiga estação ferroviária para relação de patrimônios históricos de interesse à serem tombados, que também está no município de Atílio Vivácqua.

Já a Prefeitura de Atílio Vivácqua esclarece que o referido trecho da estrada não pertence ao município, mas, ainda assim, enviará uma equipe ao local, para averiguá-lo.

Sobre os entulhos de pedras na estrada, afirma desconhecê-las, uma vez que realiza, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, serviços de manutenção de estradas vicinais somente com patrolamento e ensaibramento.

Quanto à questão do transporte público, a Prefeitura atiliense explica que disponibiliza ônibus gratuitamente, todos os dias, para todo o interior do município, incluindo a comunidade de Santa Teresa (até a divisa com Cachoeiro de Itapemirim).

Acrescenta, por fim, que não houve nenhuma alteração nas rotas do interior, que foram definidas e implementadas há mais de cinco anos e que são mantidas até hoje.

Ultimas Notícias
Ultimas Notícias