qui 18/abril/2024 07:29
Pesquisar
Close this search box.
Capa
Geral
Cachoeiro
Política
Oportunidade
Saúde
Educação
Economia
Agro
Segurança
Turismo
Esporte
DiaaDiaTV
Publ. Legal
Mundo Pet
Cultura
Foto: Sesp

Empresários são presos em fiscalização de comércio clandestino de combustível

redacao
Redação Dia a Dia

A Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon), em conjunto com a Agência Nacional do Petróleo (ANP) e a Prefeitura de Viana realizou, nessa sexta-feira (15), Dia do Consumidor, uma operação para combater o comércio clandestino de combustível.

Durante a ação, dois empresários foram presos em flagrante por utilizarem uma oficina como posto de combustível clandestino em Viana e venderem gasolina adulterada.

De acordo com o titular da Decon, delegado Eduardo Passamani, vender gasolina adulterada é crime e pode representar risco para vida dos passageiros porque o combustível adulterado prejudica o funcionamento de veículos.

“A empresa não tinha autorização da Agência Nacional de Petróleo nem licença da Prefeitura de Viana para funcionar”, informou o delegado.

Os dois empresários detidos foram encaminhados ao sistema prisional capixaba. Eles podem pegar até cinco anos de prisão.

As investigações começaram após denúncia feita ao Ministério Público sobre venda ilegal de combustível no município de Viana. De acordo com a Decon, a fiscalização será feita em outros municípios também.

Queixas de consumidores

O delegado Eduardo Passamani citou as principais queixas apresentadas pelo consumidor capixaba que procura a delegacia para denunciar práticas que eles consideram crime ou para tentar uma composição civil por se sentirem lesados.

“As reclamações mais comuns são as fraudes em consórcio, problemas com revendas de veículos e empresas que descontam empréstimos consignados não realizados. As empresas que mais desrespeitam os direitos do consumidor são as do ramo financeiro, de consórcio e empréstimo consignado”, disse Passamani.

O delegado ressalta que nem toda irregularidade civil é crime. “Uma compra ou serviço atrasado ou desacerto contratual, como marcenaria atrasada por exemplo, pode ensejar reparação civil, mas não criminal. Nesses casos, somente o Procon ou a Justiça podem reparar o dano”, afirma o titular da Decon.

Oficinas fiscalizadas na operação desta sexta-feira:

Fotos: Divulgação/Decon
padaria_cachoeiro_produtos_irregulares3_17_04.

Dono de padaria é detido e produtos apreendidos em Cachoeiro

Ferro_velho_peças_roubadas4_16_04_24_

Empresas vendiam peças de carros roubados de R$ 20 mil por R$ 2 mil

Limpeza_Mimosook_16_04_24

Faxina em Mimoso do Sul: mutirão promete lavar a cidade com 50 caminhões-pipa

Doações_Sul_ES_16_04_2024

Governo entrega eletrodomésticos e móveis para famílias no sul do Estado

Presidente_Kennedy_Projetos_Renováveis_Energia_Indústria_13_04_2024_

Prefeitura de Presidente Kennedy abre concurso público

Polícia_Civil_Marilândia_caso_Thamyris_16_04

Polícia de Marilândia prende segundo suspeito envolvido na morte da jovem Thamyris

Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Presidente Getúlio Vargas_

Escola de Cachoeiro de Itapemirim inicia projetos com robótica educacional

ES-Solidário_doações_

ES Solidário recebe 84 mil itens e encerra doações para vítimas das chuvas no sul do Estado

Leia mais