Persio Freitas é especialista em radioterapia do IRV. Foto: Julia Terayama

Novas tecnologias e diagnóstico precoce aumentam chances de cura do câncer

Novas tecnologias e diagnóstico precoce aumentam chances de cura do câncer
Redação Dia a Dia

No Dia Nacional de Combate ao Câncer, lembrado neste sábado (27), especialista anuncia um dado animador: graças ao avanço tecnológico da medicina, o diagnóstico precoce e uma melhor qualidade de vida, as chances de cura da doença podem chegar a 90% quando descoberta em estágio inicial.

A data foi criada pelo Ministério da Saúde em 1988 para a conscientização sobre a prevenção de tumores.

“Na radioterapia, por exemplo, contamos com softwares e aparelhos de última geração que permitem reduzir o tempo de tratamento pela metade (hipofracionamento), com o emprego de uma dose maior de radiação por dia, em menos dias de cuidados oncológicos, o que é um ganho para o paciente, que precisa vir menos vezes ao serviço médico”, explica o médico radioterapeuta Persio Freitas, do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV).

No caso do câncer de mama, por exemplo, um tratamento que durava 30 dias, hoje pode ser feito em 15, com maior precisão e segurança.

“Receber o diagnóstico de câncer não é fácil e entendemos que a pessoa precisa ser acolhida, pois embora tratemos a parte física, o emocional fica abalado. Valorizamos cada vitória neste processo, que é concluído com a entrega da árvore da vida, um presente que damos aos nossos pacientes simbolizando o início de uma nova fase”, afirma Persio Freitas.

Durante a pandemia, o maior desafio tem sido evitar a interrupção de tratamentos. Segundo o médico, mesmo após a vacina contra a Covid-19, os pacientes devem manter os cuidados para evitar o coronavírus e usar os recursos da medicina para combater o tumor.

“O câncer é uma doença que pode matar, assim como a Covid-19. Já são quase dois anos de pandemia. Não dá para adiar o tratamento”, afirma.

 

Fatores de risco

Persio Freitas destaca que o cuidado com a saúde, com uma rotina de exercícios físicos e uma alimentação rica em fibras, ajuda a prevenir o câncer. O especialista aponta os alimentos ultraprocessados, as bebidas alcóolicas e o cigarro como fatores de risco do câncer.

“Salsicha, bacon, presunto, salaminho e outros alimentos gordurosos não devem ser consumidos em excesso. Não fumar, não beber, ter uma atividade física e fazer os exames de rotina também são fundamentais para uma melhor qualidade de vida”, diz o médico.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam que o Brasil terá 625 mil novos casos por ano no triênio 2020-2022. No Espírito Santo, são 10.880 ocorrências anuais da doença.

Na literatura médica existem mais de 100 tipos de câncer. Entre os homens, os tumores de pulmão e próstata são os mais frequentes, enquanto que as lesões de mama e colo do útero têm maior incidência entre as mulheres. Para os dois sexos, o câncer de pele (não melanoma) é o mais comum.

Ultimas Notícias