Os suicidas estão condenados ao inferno? Veja o que a Bíblia diz sobre isso

Os suicidas estão condenados ao inferno? Veja o que a Bíblia diz sobre isso
Os suicidas estão condenados ao inferno? Veja o que a Bíblia diz sobre isso
Anete Lacerda

No Setembro Amarelo, quando muito se fala sobre a importância de ações que orientem familiares, amigos e potenciais suicidas em relação à prevenção, qual é a visão dos cristãos sobre o assunto?

Os suicidas estão condenados eternamente ao inferno? Buscar apoio terapêutico em momentos difíceis é fraqueza espiritual? A depressão é falta de fé? Sansão cometeu suicídio e mesmo assim foi citado na galeria dos heróis da fé. E aí?

Quem vai conversar conosco sobre isso é o Pastor Antônio Carlos Júnior, da Igreja Batista Memorial de Cachoeiro de Itapemirim.

Formado em Teologia Livre pelo Seminário Cetebes de Cachoeiro de Itapemirim, e também pela Faculdade Batista Teológica de São Paulo, em parceria com a USP, é pós-graduado em Terapia Familiar pela Faculdade Unida de Vitória.

O pastor enfatiza que a Bíblia fala sobre suicidas, mas que todas as análises, veterotestamentarias e do novo testamento, precisam de muito cuidado, sabedoria e prudência antes de qualquer julgamento ou mesmo doutrina.

 

Depressão é falta de fé?

Ele diz que a atitude que tomaria diante de um potencial suicida, como pastor e conselheiro, seria encaminhá-lo o mais rápido possível para um médico psiquiatra, e que já fez isso outras vezes. “Creio que salvei vidas através dessa atitude. Esse é o meu conselho”.

Antônio Júnior destaca que não é falta de fé estar com depressão ou outro problema e desejar a própria morte. Ele cita o profeta Elias (I Reis 19-4), que desejou a morte após ser ameaçado por Jezabel.

“Peço até desculpas pela expressão, mas a coisa mais idiota a se dizer para alguém que está com depressão ou quer se matar é que ela não tem fé, que ore mais e leia mais a Palavra.”.

O pastor Antônio Júnior faz questão de ressaltar: a pessoa não deve ficar com vergonha de pedir ajuda. E que ninguém que for procurado brinque ou demore a agir diante de algo tão sério como a depressão e a vontade de tirar a própria vida.

E aos cristãos que condenam implacavelmente o suicida ao inferno, ignorando a dor extrema que leva ao ato, é preciso ficar atento às palavras do pastor quando questionado se o inferno é o destino certo das pessoas que tiram a própria vida.

 

Não julguem

Pastor Antônio Júnior enfatiza que as pessoas que tiram a própria vida não estão condenadas ao inferno. Ressalta que biblicamente não nos foi dado o direito ou mesmo o dever de exteriorizar e massificar tal pensamento.

“A certeza que tenho é que quem não conhece o verdadeiro amor aqui na terra também se privou dele para a eternidade. O verdadeiro amor foi revelado e encarnado e nós cristãos o conhecemos como Jesus Cristo”.

Ele cita três versículos, em especial. Mateus 7-1 e 2: “Não julguem para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês. E João 4-8: “Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor.”( 1 João  4-8).

Vamos ouvir o que mais o pastor Antônio Carlos Júnior tem a dizer sobre o assunto.

 

O caso de Sansão

 

A Bíblia aborda a questão do suicídio?

Sim, a Bíblia fala sobre suicídios. Mas preciso destacar que cada situação onde isso ocorre nas escrituras deve ser analisada em particular para não neutralizar o texto e o contexto cultural de um outro povo, que da nossa parte não pode ser ignorado.

Vou dar um exemplo do Antigo Testamento. Sansão, que foi um juiz do povo de Deus (hebreus, israelitas ou “judeus”). Ele é um grande herói que libertou o povo de Israel do domínio de seus principais inimigos na época, os filisteus.

Logo que se fala de Sansão e de sua fama para as crianças, e nos sermões para os adultos, todos ficamos admirados com sua tremenda força, sendo a forma como Deus o usou.

No entanto se analisarmos a questão da sua morte (Juízes 16. 30) sem entender a motivação de Sansão, e a própria liberação do poder de Deus para que em seus últimos instantes de vida a sua força fosse restaurada, entenderíamos que ele foi para o inferno (apesar de naquele tempo as pessoas não terem o entendimento de inferno como temos hoje).

Sansão cometeu suícídio, foi homicida e ainda Deus foi quem deu todo o poder para que ele fizesse o que fez. Vejam que essa é apenas uma situação. Por isso se faz necessária  análise cuidadosa de um texto para não gerar loucuras como temos visto em nosso tempo.

A primeira coisa a se entender no contexto de Sansão é que as coisas só se resolviam naquele tempo na base da guerra, principalmente na disputa de territórios.  Não havia outra forma de resolver as coisas. Ele foi um homem escolhido por Deus para vencer uma guerra.

No momento de sua morte ele pensava conforme a sua conduta de vencer aquela guerra, não era simplesmente tirar a própria vida, mas sim fazer o maior estrago possível em seus opressores a ponto deles desistirem de escravizar seu povo.

Sendo assim, já há uma mudança da visão com relação a Sansão e de seu pseudo-suicídio. Na verdade para mim, pessoalmente, não se trata de alguém que deliberadamente morre simplesmente porque queria morrer!

Para mim ele foi alguém que estava ali escolhido e separado por Deus para vencer aquela guerra. Por isso reitero que cada caso na Bíblia é um caso, e todos precisam ser analisados cuidadosamente.

 

Procurar ajuda médica e psicológica é falta de fé?

Não é falta de fé estar com depressão ou outro problema e desejar a própria morte. O grande profeta Elias (I Reis 19.v.4) também  quis morrer após ser ameaçado por Jezabel. Desculpe pela expressão, mas a coisa mais idiota a se dizer para alguém que está com depressão ou quer se matar, é ” você está sem fé, “vai orar e ler mais a palavra”, pois esses tipos de frases são aquelas que muitos dizem por não saberem dizer nada, e ao invés de ajudar,  só piora o problema, deixando a pessoa que está mal ainda pior.

Muitas vezes pedir isso a ele é a mesma coisa que pedir pra um paraplégico andar. Por isso a primeira coisa a fazer quando uma pessoa chega a mim ou a você precisando de ajuda, devemos fazer como o nosso Senhor Jesus Cristo. Apenas amar, mas amar com todas as suas forças. Peça a Deus direção para procurar o mais rápido possível um médico especialista nessa área, que é o psiquiatra.

Você diz para quem está infartando orar, ler a Bíblia e ter mais fé? Não. Você corre com ela para o hospital. É isso que temos que fazer com os depressivos e potenciais suicidas. Prestar socorro imediato.  Recomendo também que a pessoa faça terapia, passe por um aconselhamento pastoral sadio, não deixe de ler a Bíblia, não pare de orar e o mais importante, saiba que Deus a ama muito, e muita gente também a ama.

É claro que a leitura da bíblia e a oração têm todo o poder, eu sou testemunha desse poder, e até para não se chegar ao fundo poço, não podemos deixar de ler a Bíblia, ter fé e orar, só que aquele que está doente não consegue fazer isso.

Mas precisamos entender. Alguém que quer tirar a própria vida está com depressão, muito doente, e precisa receber muito amor e muita atenção. Ela própria já se julgou e se condenou, e a última coisa que tem que ouvir em um momento tão difícil da sua vida são mais palavras de julgamento contra ela.

 

Em seu ministério ou vida pessoal já se deparou com uma perda provocada pelo suicídio?

Em meu ministério ainda não me deparei com alguém que tenha tirado a vida dessa forma, graças a Deus.

Já na minha vida pessoal me lembro de um ex-namorado de uma das minhas tias. Ele se matou. Eu só tinha oito anos e nem lembrava disso mais, só lembro que foi muito triste mesmo.

Ultimas Notícias
mersin escort bayan - escort eskişehir - Meritroyalbet - nakitbahis.club - Vippark - winyou.club -

Betexper

-
betsatech.com
- Betgaranti giriş - piabet.biz -

grandbetting güvenilir mi