Risco de escassez hídrica leva Agerh a declarar Estado de Atenção

Risco de escassez hídrica leva Agerh a declarar Estado de Atenção
Risco de escassez hídrica leva Agerh a declarar Estado de Atenção
Anete Lacerda

A queda nas vazões dos mananciais e a possibilidade de não ocorrência de chuvas em volumes suficientes levou a Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh) a declarar Estado de Atenção sobre a situação hídrica no Espírito Santo.

A Resolução 001/2021, com a declaração e recomendações de uso racional da água, foi publicada no Diário Oficial do Estado, nesta sexta-feira (24).

O Cenário de Atenção foi declarado devido ao risco de aumento do déficit hídrico em rios e demais cursos d’água de domínio do Espírito Santo.

O diretor-presidente da Agência Estadual de Recursos Hídricos, Fábio Ahnert, enfatizou que diferentemente das regiões banhadas pela bacia hidrográfica do rio Paraná, que sofrem com a falta d’água desde o primeiro semestre, o Espírito Santo ainda está conseguindo ofertar água em quantidade e qualidade para todos, mesmo em um dos meses mais críticos do período seco.

No entanto, Fábio alerta que chegou-se a um momento no qual os volumes dos rios seguem em queda, o que requer atenção e esforços de economia para que seja evitada a escassez hídrica”.

 

Ações em todos os segmentos

A partir da Resolução, as empresas públicas e privadas de saneamento deverão incentivar a economia do consumo diário de água pela população, além de fazer intervenções para redução do índice de perdas do sistema de distribuição, e a agilidade no atendimento às solicitações de reparos de vazamentos em suas redes.

Às prefeituras dos 78 municípios do Espírito Santo a Agerh recomenda ações que reduzam e responsabilizem atividades promotoras do desperdício de água, como lavagem de calçadas, fachadas, muros e veículos com o uso de mangueiras; a rega de gramados, jardins, vias públicas com água que não seja de reuso.

O reuso, reaproveitamento e reciclagem de água foi recomendado às indústrias. Aos usuários e empreendedores agrícolas, o Estado de Atenção demanda a adoção do período noturno para a irrigação de lavouras, a ampliação do uso racional e de captação de águas de chuva.

A Agerh recomenda aos órgãos responsáveis pelo licenciamento de atividades poluidoras, potencialmente poluidoras, degradadoras ou potencialmente degradadoras, que imponham aos empreendimentos a adoção de medidas para a ampliação do uso racional, do reuso e aproveitamento de águas residuais tratadas.

Recomenda ainda a captação de águas de chuva e de ações de reflorestamento e conservação de água e solo. Recomenda ainda a desburocratização do licenciamento de atividades e intervenções emergenciais destinadas ao aumento da oferta hídrica.

Fábio Ahnert destaca que em paralelo, a Agerh vai reforçar ainda mais o monitoramento dos rios e da chuva, em parceria com os órgãos estaduais e federais, e ampliar as ações de fiscalização nos locais mais sensíveis à estiagem.

O diretor-presidente enfatizou ainda a importância do comprometimento de todos. “É muito importante que todos os capixabas se unam em prol de um uso mais consciente da água, para que continuemos atravessando esse período seco com tranquilidade e sem prejuízo, até o retorno das chuvas”, recomendou.

 

 

Ultimas Notícias
mersin escort bayan - escort eskişehir - Meritroyalbet - nakitbahis.club - Vippark - winyou.club -

Betexper

-
betsatech.com
- Betgaranti giriş - piabet.biz -

grandbetting güvenilir mi