qui 20/junho/2024 21:14
Pesquisar
Close this search box.
Capa
Geral
Cachoeiro
Política
Oportunidade
Saúde
Educação
Economia
Agro
Segurança
Turismo
Esporte
DiaaDiaTV
Publ. Legal
Mundo Pet
Cultura
A Besta de Exmoor

Rumo ao Inexplicável: A Besta de Exmoor

marcio_nascimento2
Marcio do Nascimento Santana
A Besta de Exmoor. A polêmica foto

Amanhecia nos campos do interior da gloriosa Inglaterra. O fazendeiro acorda e vai até o campo cuidar de suas ovelhas, quando se depara com uma verdadeira cena de terror. Dezenas de ovelhas mortas de forma violenta, com grandes marcas de mandíbula em seus pescoços. Porém, o que chama mais atenção é apenas um detalhe, elas não foram mortas para satisfazer a fome de seu predador assassino, e sim por puro esporte e diversão, como se fosse um ritual macabro. O fazendeiro logo se desespera e clama ajuda aos céus, pois seus queridos animais teriam sido vítimas da temível:

Besta de Exmoor

Exmoor é uma localidade de Devon, Somerset no Reino Unido, cuja principal atividade econômica seria a agricultura e a criação de ovelhas. Centenas de ovelhas, rebanhos inteiros que garantem o sustento de dezenas de famílias. Uma região linda, cercada por matas, montanhas, riachos de águas límpidas e campos extensos. Um lugar ideal para abrigar um dos maiores mistérios da Criptozoologia inglesa: A fera de Exmoor.

A Besta
As primeiras aparições desse misterioso felino datam desde a década de 1970, mas somente a partir de 1983 que a lenda se consolidou quando um agricultor no sul da localidade de Molton, alegou a diversas autoridades que teria perdido mais de 100 ovelhas no espaço de três meses. E todas mortas por ferimentos violentos na garganta

Esse incrível animal é geralmente descrito como um gato gigantesco, responsável por vários ataques a seres humanos e pela morte de mais de 500 animais no interior da Inglaterra. Um animal poderoso, de garras e presas afiadas e dotado de uma força descomunal que inundou os campos ingleses de sangue, medo e folclore. Um felino gigantesco, segundo alguns de cor negra, como uma pantera, enquanto outros a descrevem como um animal pardo de olhos de brasas, semelhante a um puma. E há quem diga que esse magnifico animal seria uma, espécime hibrida, resultante do cruzamento de um puma com um leopardo, o que acarretaria a criação de um novo tipo de predador que segundo várias testemunhas, mede cerca de incríveis 8 metros de comprimento, do focinho até a ponta da cauda e que seria capaz de saltar a mais de 6 metros de altura com muita facilidade. Mas essas teorias têm uma lacuna, tendo em vista que a expectativa de vida de grandes felinos é em média de 12 a 15 anos. E como as primeiras aparições ocorreram na década de 70, há mais de 50 anos atrás, ela já deveria ter morrido. Algo que não ocorreu, pois a sua última aparição nos campos de Exmoor foi no ano de 2022.

 

A Besta de Exmoor seria uma pantera?

A força do mito

As primeiras fotografias dessa fera foram divulgadas no jornal Somerset West Press em 1989, e seu conteúdo revelavam um animal semelhante a um grande felino, porém cuja espécie era completamente desconhecida dos pesquisadores, o que fomentou ainda mais a existência de um predador invencível, capaz de resistir ao tempo e a ação do homem. Outras fotos, porém, apareceram e alguns céticos juram que visualizaram um cão enorme, mas na maioria das análises o único consenso foi o animal ser um felino desconhecido.

No ano de 2006, o Big Cats Society, informou que o crânio de um felino teria sido encontrado em Devon, e que poderia ser de um puma. Mas o Ministério inglês do Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais (Defra) afirmou que grandes felinos não poderiam viver em estado selvagem pela Inglaterra, uma vez que eles não sobreviveriam o inverno rigoroso. E em 2010 a família Carrigan da pequena cidade de Darlington teriam se deparado com a besta de Exmoor, apresentando uma foto digital para provar, que na realidade era uma fraude como veio se revelar mais tarde.

Conclusão

É notório que a Inglaterra não possui grandes felinos em sua riquíssima fauna, o que leva alguns criptozoologistas a realmente acreditar na existência desse animal, e que na realidade não seria apenas um exemplar e sim vários. Mas a maioria dos cientistas e pesquisadores atribuem os ataques a felinos de grande porte normais, que teriam escapado de algum zoológico ou de um circo. E ainda atribuem a culpa a cães de grande porte que poderiam estar sofrendo de alguma doença como hidrofobia.

Mas seja como for, a ciência até hoje não conseguiu chegar a uma resposta definitiva, e a lenda da terrível besta permanece mais viva do que nunca e hoje movimenta o turismo na região de Devon. Felizmente.

 

Para saber mais:

 

Marcio do Nascimento Santana. Historiador com formação em Arqueologia, Montanhista e membro do Instituto Histórico e Geográfico de Cachoeiro de Itapemirim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Corrida_São_Pedro_Cachoeiro_09_04_2024

Começa a entrega dos kits da Corrida de São Pedro

PRF Policia-Rodoviaria-Federal-BRA-31-12

Cai número de acidentes provocados por ingestão de álcool nas rodovias federais

encontro-coral-corais-19-06-2024

Encontro de Corais reúne sete grupos na Catedral de São Pedro

obras-corrego-dos-monos-19-06-2024

Obras melhoram a infraestrutura urbana de Córrego dos Monos

prisao-guacui-19-06-2024

Homem preso em Guaçuí com drogas e aliciando menores 14 dias após deixar a cadeia

picapes-celina-alegre-19-06-2024b

Duas pessoas ficam feridas após acidente entre picapes em Alegre

pintor-eletrocutado-nova-brasilia-19-06-2024

Pintor é eletrocutado enquanto trabalhava em igreja no bairro Nova Brasília

Justiça suspende vídeos de youtubers que atuam na área policial

Justiça suspende vídeos de youtubers que atuam na área policial

Leia mais