seg 22/julho/2024 07:15
Pesquisar
Close this search box.
Capa
Geral
Cachoeiro
Política
Oportunidade
Saúde
Educação
Economia
Agro
Segurança
Turismo
Esporte
DiaaDiaTV
Publ. Legal
Mundo Pet
Cultura

Torcidas organizadas furam bloqueios em rodovias do país

redacao
Redação Dia a Dia

A Gaviões da Fiel, torcida organizada do Corinthians, liberou um bloqueio na Marginal Tietê, em São Paulo, fechada por bolsonaristas que protestavam contra a derrota de Jair Bolsonaro na eleição do último domingo (30).

O mesmo já havia acontecido com integrantes da Galoucura, torcida organizada do Atlético-MG, que furaram bloqueios do trecho do Sul de Minas da Rodovia Fernão Dias.

Os torcedores iam para São Pauli para acompanhar o jogo entre o time do coração e o São Paulo, que se enfrentavam pelo campeonato brasileiro.

Assim como os membros da Galoucura, os corintianos retiraram os objetos que bloqueavam a via na altura da Ponte das Bandeiras.

Logo depois, os integrantes da Gavião da Fiel estenderam no viaduto uma faixa onde estava escrito “somos democracia”. Assim que os torcedores chegaram, os bolsonaristas correram com seus carros.

Na manhã desta quarta-feira (2), outro vídeo mostra um grupo da Gaviões da Fiel desobstruindo a paralisação na Via Dutra, a caminho do Rio de Janeiro. A torcida organizada também retirou faixas que pediam intervenção militar.

 

SAIBA MAIS

 

O Corínthians já tem uma trajetória em defesa da democracia no Brasil. Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira, o jogador Sócrates, talvez o mais notável jogador corintiano e o mais caro do país à época, foi um dos mais ardorosos defensores do Estado Democrático de Direito no período da ditadura militar.

Juntamente com o também jogador do Clube Walter Casagrande, ajudou a consolidar a Democracia Corinthiana, um movimento revolucionário no futebol brasileiro.

A partir da Democracia Corinthiana os jogadores não só participavam das decisões diárias do clube, como se manifestavam publicamente pela redemocratização do país em plena ditadura.

Sócrates aproveitava sua grande notoriedade, inclusive internacional, para levantar bandeiras além do campo e exercer algo que lhe era tão caro: a liberdade de pensamento e expressão.

Embora tivesse prometido a si mesmo parar depois de disputar uma das copas que participou, voltou atrás ao perceber que havia se tornado o porta-voz de uma causa maior que a sede corintiana por títulos e vitórias.

Ele dizia que descobriu que, jogando futebol, podia intermediar as aspirações e angústias de milhares de pessoas que se identificavam com ele. Então, marcar posição em favor da democracia não é incomum entre os torcedores corintianos.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Alface-credito Arquivo Incaper-20-07-2024

Banestes anuncia R$ 1 bilhão em recursos para Plano Safra 2024/25

professor

Abertas 200 vagas em curso gratuito de pós-graduação em educação à distância

moradores-recebem-geladeiras-20-07-2024

Moradores atingidos pelas chuvas no Sul do ES recebem doação de geladeiras e lâmpadas

moto-apreendida-19-07-2024

Moto clonada é apreendida em Cachoeiro após ser flagrada pelo videomonitoramento

prisao-suspeito-19-07-2024

Preso suspeito de atirar em mototaxista e enfermeiro em Cachoeiro

Hospital-do-Aquidaban-2-e1609786208993

Enfermeiro baleado já havia pedido medida de afastamento. Familiares pedem justiça

acidente-br-482-19-07-2024

Motociclista de 53 anos morre atropelada por caminhão

cao-atendimento-veterinario

Inscrições prorrogadas para cursos técnicos gratuitos

Leia mais