qui 20/junho/2024 22:39
Pesquisar
Close this search box.
Capa
Geral
Cachoeiro
Política
Oportunidade
Saúde
Educação
Economia
Agro
Segurança
Turismo
Esporte
DiaaDiaTV
Publ. Legal
Mundo Pet
Cultura

Medo eterno de uma mente desde a infância

olivia-15-08-2023
Olivia Batista de Avelar

Pequenos caixões de madeira se enfileiram sob vigília: as memórias mais antigas da nossa noite interna nos espreitam pelas frestas. Os cenários, feito teatro de sombras chinês, te escapam feito fumaça – desaparecem e se refazem, usando uma outra forma, mas carregando por trás de diferentes máscaras os mesmos medos. Os medos eternos – porque congelam o tempo. Os medos etéreos – perfeitos em sua habilidade de convencimento e persuasão. Os medos erráticos – nômades e vagabundos que te agarram no virar de uma esquina, no crepitar dos galhos e dos clichês.

O que nos assusta não mora lá fora: nossos piores sustos vêm sempre de dentro. Essa casa enorme e penumbrosa aonde, desde sempre e para sempre, viveremos sozinhos e cercados de reminiscências. Na tela, as imagens são somente as iscas, as visitas que, com mãos leves e pálidas, batem à porta e aguardam a nossa resposta: “há algo aí dentro, tão escondido e tão assustador, tão dolorido que não termina nunca de arder, tão entranhado no tecido epitelial que é impossível saber de onde veio e aonde está?” – nossa resposta é sempre inconsciente; a leve alfinetada na espinha nos avisa que já os deixamos entrar – e eles, sempre, se sentirão em casa.

Quartos, corredores, salões de jogos e de baile: um hotel inteiro para abrigar o que negligenciamos, o que omitimos, o que não ousamos sussurrar para nós mesmos, sozinhos e no escuro. O que não confessamos – nem mesmo sob a tortura de um monstro? Que se ficamos com muita fome, começamos a roer nossos próprios ossos, a mastigar as cartilagens do nosso próprio coração. Mas, sempre, viramos o rosto.

É seu pai bêbado quem carregava um machado. É seu medo de saber que é igual a ele que te leva pela mão, até as garrafas. É o medo do seu pai que batia na sua mãe que te ferve as vísceras e te faz bater em mulher. É seu medo de morrer, de envelhecer, que te faz desejoso e comensal da juventude alheia. É seu medo de se saber culpado que te faz procurar ser punido. É seu pavor de ser comum e sem talentos especiais que te leva a perseguir e humilhar qualquer pessoa que se sinta confortável e realizada ao fazer o que faz.

O ranger de uma porta. Uma figura disforme nas sombras do quarto. Os galhos arranhando um céu pesado como o chumbo de que são feitos os remorsos e as culpas. Apenas senhas. Truques de mágica. O verdadeiro calabouço está em nós e, como almas penando em nosso palco/labirinto, primeiro escondemos e depois procuramos as chaves que nos trancam e nos encerram.

Tentar escapar do medo deixa a escuridão mais forte. É quando iluminamos que as sombras desaparecem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Corrida_São_Pedro_Cachoeiro_09_04_2024

Começa a entrega dos kits da Corrida de São Pedro

PRF Policia-Rodoviaria-Federal-BRA-31-12

Cai número de acidentes provocados por ingestão de álcool nas rodovias federais

encontro-coral-corais-19-06-2024

Encontro de Corais reúne sete grupos na Catedral de São Pedro

obras-corrego-dos-monos-19-06-2024

Obras melhoram a infraestrutura urbana de Córrego dos Monos

prisao-guacui-19-06-2024

Homem preso em Guaçuí com drogas e aliciando menores 14 dias após deixar a cadeia

picapes-celina-alegre-19-06-2024b

Duas pessoas ficam feridas após acidente entre picapes em Alegre

pintor-eletrocutado-nova-brasilia-19-06-2024

Pintor é eletrocutado enquanto trabalhava em igreja no bairro Nova Brasília

Justiça suspende vídeos de youtubers que atuam na área policial

Justiça suspende vídeos de youtubers que atuam na área policial

Leia mais