Obras de saneamento básico. Foto: BRK Ambiental

Saneamento muda realidade de bairros de Cachoeiro

Saneamento muda realidade de bairros de Cachoeiro

Obras de saneamento básico já mudaram a realidade 49 bairros e nove distritos de Cachoeiro de Itapemirim nos últimos dois anos. Somente no sistema de esgotamento sanitário, os investimentos compreenderam cerca de 21.642 metros de novas redes e trechos modernizados. Já no sistema de abastecimento de água foram 8.969 metros de novas redes e substituição de outros 2.870 metros.

As intervenções no sistema de esgoto, além de contribuírem com a valorização imobiliária nos bairros, apresentaram diferentes impactos positivos na vida dos cachoeirenses, como a revitalização dos córregos, a redução e a melhoria no controle de doenças de veiculação hídrica, entre outras.

O bairro São Lucas foi um dos locais em que esses efeitos ficaram mais evidenciados pelos moradores. O esgoto, que antes era jogado in natura no córrego que corta a região, foi todo canalizado em um trecho de 1.157 metros, que recebeu a rede de esgotamento sanitário em suas duas margens.

Segundo o gerente Operacional da BRK Ambiental, Jocimar de Assis Alves, no local foram encontradas 57 ligações irregulares, devidamente canalizadas e regularizadas pela concessionária. A obra beneficiou 908 famílias, como a de Manoel Batista Filho, morador há mais de 30 anos da região.

“Isso aqui melhorou em 90%. A água do córrego ficou mais limpa e os mosquitos, que eram muitos, diminuíram bastante. O lugar ficou mais bonito. A BRK Ambiental também fez a ligação de esgoto da minha casa”, disse.

Além da obra principal, realizada no córrego, Jocimar de Assis Alves explica que no bairro São Lucas foram construídas redes coletoras auxiliares em cinco ruas do bairro (rua Enedir da Cunha Reis; rua Projetada, nas proximidades da empresa Rodoclara; rua Marco Antônio Martins; avenida Leopoldino Smarzaro; e rua Corina Caiado), retirando ainda mais esgoto do córrego e contribuindo para o impacto visual apresentado.

“O aspecto do córrego mudou visivelmente porque a turbidez da água diminuiu. As 21.642 análises realizadas pelo nosso laboratório mostraram que o oxigênio presente na água elevou consideravelmente após esta obra.

O vendedor Josué Mendes Cardoso, de 35 anos, reside há dois, com a esposa e a filha, à margem do Córrego São Lucas. Ele destaca que, antes da obra, o que se via era um valão, mas que agora a água corre limpa, especialmente quando chove e o volume do córrego aumenta.

“Antes, o mau cheiro era muito grande. Tinham ratos, mosquitos e outros insetos. Hoje, utilizo a água do córrego, até mesmo, para lavar a calçada, a varanda e o carro”, contou.

Investimentos

Os investimentos de destaque da BRK Ambiental contemplaram também outros bairros, como São Geraldo, Baiminas, Coramara, Amaral, Aeroporto, Agostinho Simonato e Arariguaba, com a extensão e a modernização do sistema de esgoto.

No bairro Aeroporto, a concessionária concentrou suas atividades na execução de um coletor tronco de 2.765 metros de extensão no Córrego Aeroporto. Considerada uma intervenção de alta complexidade, a obra procura promover melhorias ambientais ao córrego que, a partir das novas ligações, também deixará de receber esgoto in natura.

No bairro Coramara, as intervenções ocorreram na Avenida Mauro Miranda Madureira. Já no bairro São Geraldo, nas ruas Oswaldo Bonandi, Odílio Rizo, Herculano Santana e Agildo Romeiro, somando 415 metros de extensão de rede de esgoto executada.

Infraestrutura

A evolução nos serviços de água e esgoto promovida pela BRK Ambiental também passa pela estrutura utilizada para atender à população.

Em 2018, a concessionária inaugurou uma usina fotovoltaica, na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Córrego dos Monos, com capacidade de gerar 15,25 kwp (quilowatt pico), o suficiente para abastecer 23 das 90 instalações de energia ligadas ao sistema de água do município. A planta de geração de energia solar foi a primeira do grupo BRK Ambiental no Brasil e contou com um investimento de R$ 100 mil.

Segundo o diretor da BRK Ambiental em Cachoeiro de Itapemirim, Bruno Ravaglia, investimentos como esses são essenciais para que a universalização no saneamento básico ocorra, de fato, no país.

“Atualmente, cerca de 100 milhões de brasileiros não têm acesso ao tratamento de esgoto e 35 milhões não recebem água tratada, o que ocasiona problemas graves de saúde na população e prejudica diversos aspectos socioeconômicos. Já em Cachoeiro de Itapemirim, a cobertura com esgotamento sanitário disponibilizada ultrapassa 98% de esgoto coletado e tratado na área urbana e nos distritos”, diz.

Legislação

O diretor acrescenta que a experiência de Cachoeiro mostra que é possível colocar um plano de saneamento básico em prática, cumprindo a legislação e alinhado com as regulações vigentes.

“As novas redes de esgoto implantadas são exclusivas, ou seja, não há mistura do efluente com a água da chuva, o que torna todo o sistema mais eficiente. Nossos novos investimentos, iniciados em 2018, chegarão a R$ 30 milhões até 2022 e promovem uma grande transformação na vida do cidadão cachoeirense, como melhoria da qualidade de vida, diminuição da incidência de doenças de veiculação hídricas e as internações hospitalares por falta de saneamento e redução nos gastos com a saúde”, destacou.

Entre para nosso clube de leitores DiaaDiaES.

Cadastre o seu email e acompanhe todo o nosso conteúdo, além de materiais exclusivos a assinantes.

Nos comprometemos a jamais enviar qualquer tipo de spam para sua caixa de entrada.

mersin escort bayan - escort eskişehir - Meritroyalbet - nakitbahis.club - Vippark - winyou.club -

Betexper

-
betsatech.com
- Betgaranti giriş - piabet.biz