20 de abril de 2021 09h48

Sobre homens e montanhas: Kalkajaka, a montanha assombrada

ARTIGO: Marcio do Nascimento Santana, historiador, montanhista, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Cachoeiro de Itapemirim.

 

Eu aprendi que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você está escalando-a.
Willian Shakespeare

 

Salve, povo de montanha! A história de hoje é sobre a terra do famigerado Crocodilo Dundee, a Austrália.

Sim, o berço de invenções maravilhosas como o bumerangue, terra de animais exóticos como o extinto tigre das tasmânia e, claro, berço do buschcraft e das artes mateiras.

A Austrália, meus amigos, também abriga montanhas icônicas e misteriosas, entre elas, o Ayers Rock e a misteriosa montanha assombrada Kalkajaka ou Montanha Negra (Black Mountain) ou ainda Montanha da Morte.

A conquista de Kalkajaka e a bandeira inglesa tremulando em seu cume

A Montanha Kalkajaka

Erguendo-se da natureza selvagem da Austrália, essa montanha é uma visão assustadora que contrasta fortemente com os arbustos e eucaliptos ao seu redor. Pairando sobre o mar verde de árvores ao redor está ela, a colossal montanha de Kalkajaka.

Essa montanha, caro leitor, se eleva a 430 metros de altura, a apenas 25 quilômetros ao Sul de Cooktown, localizado no território de Queensland. Segundo os aborígenes e exploradores, essa montanhas é o lugar mais assustador do mundo.

A montanha consiste em enormes rochas de granito preto, semelhante a uma pilha gigantesca de carvão, empilhadas umas sobre as outras, e em sua base ela é formada por numerosas cavernas e passagens escuras, sendo considerada um local de muitas anomalias. Kalkajaka significa Montanha da Morte pelo dialeto dos aborígenes australianos. 

Lendas da Montanha Assombrada

Nas tradições orais do povo aborígene, existe um caminho que conduz ao coração da montanha. Mas ele é guardado pelos espíritos dos mortos. Por esse motivo, os aborígenes evitam esse lugar a todo custo, aludindo antigas lendas repletas de horror e medo.

Em 1877, foi registrado um dos primeiros relatos de uma pessoa desaparecida , quando um vaqueiro chamado Grayner saiu a cavalo à procura de um bezerro perdido. Mas ele nunca mais voltou. Buscas foram realizadas para procurar o homem desaparecido, junto com o cavalo e o bezerro, mas nunca foram encontrados.

Em 1924, um fazendeiro chamado Harry Owens, proprietário do Rancho Oakley Creek, subiu as montanhas a cavalo, em busca de um novilho que havia se desgarrado. Quando Owens não voltou, seu capataz George Hawkins alertou a polícia e foi em busca do patrão. Quando as autoridades se juntaram à busca, Hawkins também havia desaparecido. Dois aborígenes que trabalhavam para a polícia como rastreadores encontraram rastros que conduziam a uma caverna natural. Os dois aborígenes entraram na caverna rochosa, mas apenas um voltou aterrorizado. Ele balbuciou coisas sem sentido e disse ter sido perseguido por monstros horríveis que viviam dentro da caverna.

Em 1947, dois exploradores britânicos decidiram mapear essas cavernas a fim de determinar o que havia acontecido anos antes. Encontraram várias pinturas rupestres nas paredes e vestígios de que as cavernas haviam sido habitadas num passado remoto por nativos, mas não acharam nenhum sinal das pessoas que desapareceram em seu interior, ou seja, nenhuma ossada, cerâmica ou qualquer outra evidência arqueológica, como se os “moradores” tivessem desaparecido. Nas décadas seguintes os rumores continuaram. Viajantes ocasionais sumiam ou morriam em Kalkajaka, o que ajudou a consolidar a sua fama de assombrada.

Anos depois, um criminoso chamado Sugarfoot Jack, junto com dois de seus cúmplices, se envolveu em um tiroteio e fugiu para Black Mountain. A polícia revistou a montanha, mas nem Jack Sugarfoot nem seus cúmplices foram vistos novamente…

Até os dias atuais vigora um tabu a respeito de tudo que envolve essa região. Os poucos nativos que aceitam falar a respeito dela afirmam que se trata de um lugar maldito, onde imprevisíveis eventos sobrenaturais tendem a ocorrer.

Alguns mencionam presenças indescritíveis, uma sensação palpável de estar sendo observado e de sons misteriosos que não pertencem a nenhum animal conhecido.

Comentam que objetos de metal se comportam de modo estranho, sendo atraídos por forças invisíveis, sente-se odores nauseantes e um ruído persistente e enervante no fundo da mente.

E ainda existe  a lenda do “Devorador de Carne”, que supostamente é o fantasma de um curandeiro maligno que anseia por almas humanas e arrastará as pessoas para a morte se chegarem muito perto da montanha.

Riquezas naturais e espécies endêmicas

Existem três animais que vivem na Montanha Negra que são considerados endêmicos:
O skink Black Mountain, que é um pequeno lagarto que tem pernas longas e um focinho parecido com um bico de pato, parece preto quando está na sombra, mas fica verde quando está sob a luz solar direta. Suas longas pernas são coloridas com manchas amarelas e tem uma faixa dourada nas costas;
Lagarto Skink Montanha Negra
A lagartixa de Black Mountain, que aparece apenas à noite e é de uma cor marrom-púrpura manchada com olhos grandes. Essa espécie de lagartixa também só é encontrada nessa montanha;
A lagartixa de Montanha Negra
O sapo de Black Mountain, que é extremamente pequeno e tem olhos grandes. Eles são conhecidos por depositar seus ovos na terra, e não na água, e quando nascem, são eclodidos como sapos totalmente formados, em vez de girinos. Enquanto os sapos machos são de cor marrom mosqueada, as fêmeas são de cor amarela brilhante. Uma espécie endêmica e raríssima.
O sapo da Montanha Negra

Ofídios e morcegos

Muitas cobras também são encontradas na montanha, como as gigantes pítons de ametistina, pítons manchados, pítons de carpete, cobras de árvores marrons e víboras do norte. Diz-se que alguns dos pítons que vivem entre as pedras atacaram os seres humanos. Além de serpentes, a montanha Kalkajaka também é lar do morcego fantasma, que seria a maior espécie de microbato da Austrália e se alimenta de lagartos, sapos e morcegos insetívoros menores.

Montanha Kalkajaka, frases

Ivan Mackerle (explorador e jornalista): “A Montanha Negra é o lugar mais temido no Norte da Austrália. Os habitantes temem ir lá porque muitos desapareceram sem deixar rastros.”

Jonathan Young (fundador, Joseph Campbell Archives): “Pilotos que sobrevoam a Montanha Negra mencionaram uma turbulência incomum. Eles tiveram problemas magnéticos de navegação, ouviram barulhos altos e explosivos, e ouviram sons parecidos com gemidos. Então, é uma área muito estranha e anômala.”

Conclusão

Atualmente, as montanhas Kalkajaka continuam cheias de enigmas e as rochas sombrias e misteriosas guardam muitos segredos das inúmeras almas perdidas que visitaram a área, para nunca mais voltarem para casa.

Com a montanha atormentada por tanto mistério, embora sendo permitida a sua visitação, os turistas são incentivados a manter distância. Nesse contexto, os maiores frequentadores da Black Mountain são os cientistas.

Há um mirante fora da estrada a uma curta distância, e é aí que muitas pessoas veem a montanha: a uma distância segura, longe das forças assustadoras e desconhecidas que residem na Montanha da Morte e por baixo dela.

Para frente e para o alto;

Montanha Brasil.

Para saber mais:

 

 

mersin escort bayan - escort eskişehir - Meritroyalbet - nakitbahis.club - Vippark - winyou.club -

Betexper

-
betsatech.com
- Betgaranti giriş - piabet.biz