qua 22/maio/2024 12:35
Pesquisar
Close this search box.
Capa
Geral
Cachoeiro
Política
Oportunidade
Saúde
Educação
Economia
Agro
Segurança
Turismo
Esporte
DiaaDiaTV
Publ. Legal
Mundo Pet
Cultura
Edilio estava desaparecido desde sábado. Foto: redes sociais

Taxista de Marataízes é enterrado quatro meses após seu assassinato

redacao
Redação Dia a Dia

A família de Edilio Santana, 66 anos, de Marataízes, precisou aguardar quatro meses para conseguir enterrar o corpo do taxista que foi morto após sair de casa no dia 20 de março para uma corrida. Ele foi sepultado nesta sexta (23), ao meio dia, no cemitério de Jacarandá.

“Foi uma espera muito angustiante para todos nós”, disse a enteada do taxista, Marília Marcarini. Ela afirmou que teve apoio da Polícia Civil, que também conseguiu prender os autores do assassinato.

Edilio saiu de sua casa na madrugada do dia 20 de março e desapareceu. A família procurou por ele e chegou a fazer apelo nas redes sociais, na esperança de encontra-lo vivo. Mas isso não ocorreu.

Seu corpo foi localizado no dia 23, abandonado perto de uma plantação de abacaxi, na zona rural de Itapemirim. Como estava irreconhecível devido às queimaduras provocadas pelo sol e ataques de animais, ele precisou ser levado para exame de DNA, em Vitória.

No dia 7 de abril, a Polícia Civil prendeu um homem de 26 e outro de 21 anos. Eles confessaram. Disseram que não tinham a intenção de mata-lo, mas apenas “dar um susto”. Só que exageram nos golpes e acabaram matando a vítima.

Marília contou que no dia 27 de abril levou a mãe do taxista para fazer a coleta de DNA no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória. O laboratório pediu prazo de 40 a 50 dias úteis para apresentar o resultado, que só saiu na última quinta (22).

“Edilio era um esposo muito bom para minha mãe. Um homem honesto, alegre e que tratava a todos nós muito bem”, destacou Marília.

 

Resposta da Polícia Civil

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que para responder sobre as investigações e o motivo da demora na liberação do corpo depende do expediente administrativo do DML e da Delegacia de Polícia, que funcionam de segunda a sexta, em dias úteis, de 8 às 18 horas.

Mas ressaltou que o prazo para sair laudo cadavérico pela legislação são 10 dias, podendo ser prorrogado. Em casos em que são solicitados exames laboratoriais pode demorar mais, principalmente quando necessita de DNA (30 dias) e histopatológico (entre 60-90 dias).

frio-parque-nacional-caparao-21-05-2024 (1)

Frio abaixo de zero e geada transformam paisagem do Parque Nacional do Caparaó

peter-costab-21-05-2024

Golpista clona número do prefeito e faz vítimas em Mimoso do Sul

arroz-20-05-2024

Procon notifica supermercados em Cachoeiro para não aumentarem o preço do arroz

sala-do-empreendedor-mei-20-05-2024

Começa a Semana do MEI em Cachoeiro. Veja como participar das capacitações gratuitas

apreensao-bebidas-PRF-20-05-2024

PRF apreende 2,1 mil litros de bebidas sem nota fiscal em Mimoso do Sul

militares-es-rio-grande-do-sul-b-20-05-2024

Governador envia mais militares para reforçar proteção de abrigos no RS

acidente-br-101-20-05-2024 - 1

Duas pessoas morrem na BR 101 no mesmo local em que 5 perderam a vida no mês passado

cruzamento-etelvina-vivacqua-linha-vermelha-nova-brasilia-zumbi-20-05-2024

Trecho da Linha Vermelha interditado por 30 dias para obras de pavimentação

Leia mais