Terezinha Navarro, a mulher que escolheu viver intensamente na maturidade

Terezinha Navarro, a mulher que escolheu viver intensamente na maturidade
Terezinha Navarro, a mulher que escolheu viver intensamente na maturidade
Redação Dia a Dia

A maturidade é o começo de uma nova vida. Quem afirma, com toda a segurança e disposição, é Terezinha Marques Ferreira  Navarro, de 79 anos, que se contrapõe à ideia de muitas mulheres de que o envelhecimento é o fim de tudo, e que foge do que se espera de uma pessoa com a sua idade.

Uma vida dedicada aos afazeres domésticos, ou aos trabalhos manuais, reclusa em casa e  dependente dos filhos e netos.

Ativa, elegante e de bem com a vida, Terezinha Navarro faz balé, anda de patins, pratica corrida de rua e anda de bicicleta, tudo com o objetivo de manter a saúde em dia. A pandemia freou um pouco o seu ritmo, mas não a parou.

Conta que chegou em Cachoeiro em 1970, o que a faz, depois de tanto tempo, se sentir uma cachoeirense. “Amo essa cidade”.

Diz que depois dos 35 anos, voltou a andar de patins e entrou em competições. “E com as aulas de balé, tenho todos os exercícios que o meu corpo precisa, e por isso estou sempre bem de saúde ”, enfatiza.

A teoria de Terezinha Navarro é que toda mulher precisa começar a se exercitar antes das artroses avisarem que o tempo passou, iniciando uma rotina estressante de academia, botox e outras práticas desgastantes.

“A mulher atual tem direito de escolha, e tem a última oportunidade de repensar e mudar de vida, porque ainda está com saúde e vigor”, pontua.

 

Elegância

Quem convive, ou já cruzou com Terezinha Navarro nas ruas de Cachoeiro, percebe que a elegância é sua eterna companheira.

As mãos estão sempre cobertas por delicadas luvas de renda, que já são sua marca registrada. Ela não dispensa também os acessórios. Está sempre de óculos de sol, cordão com medalhas, botinhas, meia arrastão e calcinhas e sutiãs sempre novos. “Sem acessórios eu não me reconheço”.

 

Outra curiosidade sobre essa mulher que ama atividades físicas e chegou muito bem aos 79 anos é que ela nunca usa chinelo de dedos, nem dentro de casa, simplesmente por entender que não são elegantes.

 

Quanto ao futuro, diz que ainda tem muitos planos e muitas estradas a percorrer. Disposição é o que não falta a essa mulher nascida em Porto Velho, Rondônia, que adotou Cachoeiro como sua cidade do coração. E que desfila pelas ruas e shoppings da cidade esbanjando elegância e simpatia.

 

Ultimas Notícias
Ultimas Notícias