dom 16/junho/2024 16:27
Pesquisar
Close this search box.
Capa
Geral
Cachoeiro
Política
Oportunidade
Saúde
Educação
Economia
Agro
Segurança
Turismo
Esporte
DiaaDiaTV
Publ. Legal
Mundo Pet
Cultura

Associação de Folclore de Pedra Branca quer resgate de tradições quilombolas

redacao
Redação Dia a Dia

A Associação Quilombola de Pedra Branca (AQPB), em Vargem Alta, está fazendo um trabalho de resgate das tradições na comunidade, que tem cerca de 115 famílias.

Quem conta é o seu representante Fábio Ravera Lyrio, 41 anos. “Há muitos anos não tínhamos mais o caxambu em nossa comunidade. Só os mais antigos tinham uma vaga lembrança. Os mais jovens não conheciam essa cultura”, relata.

Fábio diz que após a gravação do curta metragem “A Viagem do Seu Arlindo”, rodado no local, e que foi vencedor do projeto Revelando os Brasis, a tradição foi resgatada.

“Hoje temos o grupo de caxambu Fé, Raça e um só Coração. Minha mãe é a atual mestra”, revela. Segundo conta, ela só tinha assistido à roda de caxambu quando era criança e tinha mesmo só uma vaga lembrança.

“Tem também a Jerusa (outra moradora local), que os pais cantavam quando ela era pequena, mas ela não se lembrava muito”, relata.

O representante da Associação Quilombola diz que foi preciso levar pessoas de fora da comunidade para relembrar aos moradores mais antigos sobre o caxambu. “E também para ensinar aos mais jovens que não conheciam”, ressalta.

Fábio lembra que quando a dança foi apresentada, o mais idosos lembravam de algumas letras, e que foi muito emocionante ver tudo aquilo. “As coisas da cultura funcionam, mas a base de muita luta mesmo”, destaca.

 

Defesa da cultura como tributo ao irmão

Fábio Ravera Lyrio conta que o irmão Alex Ravera Dutra era mestre do caxambu da comunidade e tocava o tambor e até participou do curta metragem “A viagem do seu Arlindo”, dirigido pela professora de Arte Sheila Altoé, que está sendo apresentado em mostras por todo o País dentro do projeto Revelando os Brasis.

O irmão participou também de reuniões com pessoas ligadas á cultura que discutiam as possibilidades dos editais de incentivo. “Uma época ele conheceu muitas pessoas  e nasceu uma amizade grande com o André Messias. Eu e ele conversamos mais de ano sem nos conhecer”, relata.

Segundo ele, foi  essa pessoa  que apresentou os editais da Secretaria de Cultura (Secult). “Fizemos o primeiro projeto em parceria e ficamos como suplentes na disputa”, explica.

Segundo ele, o projeto foi baseado no 1º Festival de Caxambu de Pedra Branca. “Aquilo foi uma experiência nova”. Fábio Ravera diz que após a suplência, logo depois apresentaram outro projeto, dessa vez baseado no 1º Festival de Artes Integradas do Caxambu de Pedra Branca, que foi aprovado.

“Para nossa surpresa, recebemos a notícia que no primeiro projeto deixamos a suplência e fomos classificados. Infelizmente na noite que tivemos essas duas boas notícias, o meu irmão foi assassinado”, lamenta.

Fábio destaca que mesmo com a perda do seu irmão fez uma reunião falando do projeto e perguntou ao pessoal do grupo de caxambu o que achavam. Se deviam continuar ou desistir. “Elas me deram muita força para continuar”.

Fábio conta que este projeto previa, além das oficinas de instrumentos musicais, a de artesanato em palha de bananeira, que ensinou os moradores a fazerem bolsas e chaveiros.

O representante da Associação de Folclore

diz que pegou a missão do resgate da cultura e tradição iniciada pelo irmão para ele. “Continuo fazendo os projetos e ajeitando a agenda do grupo”, enfatiza.

Ele acredita que onde o irmão estiver vai estar feliz por dar continuidade ao que ele sempre sonhou. “Infelizmente o que falta é o espaço e apoio do nosso município”.

Fábio Ravera diz que a comunidade de Pedra Branca é um ponto de resistência da cultura. “É uma coisa tão bonita que me emociona, sou suspeito para falar, mas vou continuar fazendo isso sempre lembrando do meu irmão e da vontade que ele tinha de fazer e ver as coisas acontecerem por aqui”.

O quilombola conta que já conversaram com a Secretaria de Educação e que a intenção é trazer de volta cada vez mais  crianças.

“Colocamos projeto de capoeira que ficou três meses no município. Há uma resistência da própria comunidade. A gente faz ensaio, apresentações e ainda tem gente que puxa para trás. Mas nós vamos vencer”.

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

morte-rio-itapemirim-15-06-2024

Morte misteriosa: Corpo encontrado preso entre pedras sob ponte da Ilha da Luz

casagrande-divino-de-sao-lourenco-15-06-2024c

Casagrande libera pacote de obras em Divino de São Lourenço

acidente-carro-caminhao-15-06-2024

Batida entre caminhão e Fiat Strada deixa motorista ferido em Cachoeiro

lula-15-06-2024

Lula classifica de insanidade proposta que equipara aborto a homicídio

missao-amazonia-14-06-2024

Batistas de Cachoeiro participam de missão de amor e assistência na Amazônia

prisao-apreensao-mimoso-14-06-2024

100 kg de maconha trazidas do RJ para o ES são apreendidas em Mimoso do Sul

anderson_freire

Anderson Freire doará cachê de show na Festa de Cachoeiro para entidades sociais

vista-cachoeiro-14-06-2024

Cachoeiro facilita abertura de empresas com novas medidas de desburocratização

Leia mais