dom 16/junho/2024 16:29
Pesquisar
Close this search box.
Capa
Geral
Cachoeiro
Política
Oportunidade
Saúde
Educação
Economia
Agro
Segurança
Turismo
Esporte
DiaaDiaTV
Publ. Legal
Mundo Pet
Cultura
Foto dos trabalhos antes da pandemia.

Psicopedagoga idealiza e desenvolve projeto de incentivo à leitura

redacao
Redação Dia a Dia

A pedagoga e Especialista em Psicopedagogia Roberta Gomes Medeiros desenvolve, desde 2016, o projeto Vivenciando a Leitura e o Lúdico, disponível a crianças com dificuldade de aprendizagem das escolas públicas e privadas.

A idealizadora do Vivenciando a Leitura diz que o trabalho de alfabetização e leitura desenvolvido em sua casa, no bairro Bom Pastor, que diminuiu em função da pandemia, busca favorecer a socialização de crianças com deficiência e baixa renda.

“Aqui atendemos crianças do bairro e também do Village da Luz”, relata. Segundo Roberta, o que é feito a partir do projeto é o estímulo à aprendizagem e à leitura através  de atividades lúdicas e artísticas.

Entre as atividades utilizadas para levar as crianças à leitura, oficinas de musicalização, brincadeiras e contação de histórias, destaca Roberta Gomes.

A psicopedagoga já atendeu em um espaço num endereço comercial de Cachoeiro e diz que em qualquer local em que trabalhe, usa as brincadeiras cantadas e corporais para ajudar as crianças no desenvolvimento da leitura.

“No consultório pedagógico a maioria das crianças tem alguma deficiência, então eu desenvolvo o trabalho baseado nas necessidades individuais de cada uma”, explica.

Em tempos de pandemia, Roberta conta que fez uso da tecnologia com pais e filhos e criou o Clubinho da Leitura no formato on-line para incentivar as crianças, que contaram com o apoio das famílias, que participaram ativamente das atividades.

“Esse projeto foi de extrema importância para a minha filha Gisela. Momentos de descontração , ensinamentos , viagem nas leituras de uma maneira divertida, fazendo com que minha filha interagisse mais com os outros, se comunicasse mais”, conta a mãe Cristiane Polonini de Oliveira, do bairro Estelita Coelho Marins.

Ela enfatiza que o projeto desenvolveu habilidades artísticas e educativas , fortalecendo cada vez mais tudo que a filha, que tem síndrome de down, tinha a capacidade de mostrar e evoluir.

Roberta destaca que ficou até surpresa. “O trabalho fez com que os pais se aproximassem ainda mais dos filhos. As crianças leram alguns livros e algumas até estão escrevendo suas próprias histórias”.

Outra mãe que conta a experiência positiva com o projeto “Vivenciando a Leitura” é Maria Isabel Bremide Soares, do bairro Alto Monte Cristo. A filha participou do Clubinho da Leitura on line.

“O projeto trouxe grandes avanços para a minha filha, principalmente quando se fala em aprendizado e comportamento. Yasmin tem TDHA e dislexia e só aprendeu a ler e escrever com 9 anos, graças ao trabalho que Roberta fez e faz dentro do projeto”, destaca.

Isabel diz que hoje Yasmin tem 10 anos e já faz as leituras durante os atendimentos online, em grupo e sem restrição ou vergonha por não saber fazer, e que ela mesma já tem a iniciativa da leitura, e que isso é gratificante.

“E além de todo o aprendizado desenvolvido, Yasmin está mais confiante, com autoestima, se sentido muito mais capaz. Agora Yasmin tem o desejo de escrever um livro, já se permite imaginar e contar uma história através da escrita. É muito recompensador ver toda essa evolução. Isso não tem preço, só tenho a agradecer”, comemora a mãe.

 

Voluntariado

Roberta diz que tem o apoio de profissionais voluntárias que a ajudam a desenvolver o trabalho. “A Eliane Nunes Cardoso, que é psicopedagoga clínica, me ajuda como voluntária na alfabetização das crianças”.

Segundo ela, durante todo o projeto é feito um trabalho de alfabetização com o olhar psicopedagógico e isso tem trazido bons resultados.

“Temos um rapaz autista que começou a buscar a aprender a tocar violão depois que participou da oficina. Ele já tocou umas três vezes e também já foi comigo contar histórias em escolas públicas. Ele tocava o violão e eu cantava e isso é emocionante”, enfatiza.

A psicopedagoga só lamenta que atualmente esteja com a atuação limitada, tanto por causa da pandemia quanto por falta de um espaço próprio para receber as crianças. “Mas espero que em breve possamos voltar à normalidade num local adequado”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

morte-rio-itapemirim-15-06-2024

Morte misteriosa: Corpo encontrado preso entre pedras sob ponte da Ilha da Luz

casagrande-divino-de-sao-lourenco-15-06-2024c

Casagrande libera pacote de obras em Divino de São Lourenço

acidente-carro-caminhao-15-06-2024

Batida entre caminhão e Fiat Strada deixa motorista ferido em Cachoeiro

lula-15-06-2024

Lula classifica de insanidade proposta que equipara aborto a homicídio

missao-amazonia-14-06-2024

Batistas de Cachoeiro participam de missão de amor e assistência na Amazônia

prisao-apreensao-mimoso-14-06-2024

100 kg de maconha trazidas do RJ para o ES são apreendidas em Mimoso do Sul

anderson_freire

Anderson Freire doará cachê de show na Festa de Cachoeiro para entidades sociais

vista-cachoeiro-14-06-2024

Cachoeiro facilita abertura de empresas com novas medidas de desburocratização

Leia mais